Executivo 11:56

Malafaia diz que “oferta” de bandido não o torna bandido

O pastor Silas Malafaia usou as redes sociais, nesta sexta-feira (16), para se pronunciar sobre a operação Timóteo, desencadeada pela Polícia Federal e que foi à casa do religioso, no Rio de Janeiro, com o fim de cumprir mandado de condução coercitiva do líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo. A operação apura suposta organização criminosa investigada por corrupção em cobranças de royalties da exploração mineral. A PF apura se Malafaia teria usado a igreja para ajudar na lavagem de dinheiro do esquema.

Na operação, o filho do governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), Alberto Lima Silva Jatene foi alvo de um mandado de prisão temporária. Ele não foi detido, segundo sua assessoria jurídica, porque estavam em viagem e vai se apresentar à Justiça. Também foram presos em Brasília Marco Antônio Valadares Moreira, diretor de procedimentos arrecadatórios do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral), órgão ligado ao Ministério de Minas e Energia, e a mulher dele Lilian Amâncio Valadares Moreira.

Pelo Twitter, Malafaia disse que foi acordado com um telefonema o informando da presença da Polícia Federal na sua casa. Ele alega que vai se apresentar e jurou inocência. Ele se encontra em São Paulo. “Declaro no imposto de renda tudo o q recebo. Quer dizer q se alguém for bandido e me der uma oferta, sem eu saber a origem, sou bandido?”, disse.

O pastor Malafaia admite que recebeu uma doação de R$ 100 mil dos suspeitos. A ação recebeu o nome de “Operação Timóteo” em referência a uma passagem do livro Timóteo, da Bíblia: ” Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos”.

Confira o áudio publicado pelo pastor

 

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *