Reajuste dos vereadores de Campina Grande deu em “merda”

Estudantes jogam esterco em frente à Câmara de Campina Grande. Foto: Josusmar Barbosa

É preciso iniciar este artigo pedindo desculpas ao leitor, pela informalidade da expressão, mas é inegável que o reajuste dos salários aprovado nesta quarta-feira (14) pelos vereadores de Campina Grande para eles próprios “deu em merda”. Na manhã desta quinta, um grupo de estudantes compareceu à sede do Legislativo municipal e despejou 100 quilos de esterco de gado no hall de acesso ao prédio. A iniciativa ocorre um dia depois de o colegiado ter aprovado também o pagamento do 13º salário para a categoria.

Os manifestantes cobram a revogação da decisão dos vereadores. O aumento definido com a fixação dos subsídios que passam a valer na próxima legislatura é de 26,3%. Eles aprovaram também o reajuste dos salários do prefeito Romero Rodrigues (PSDB) e do vice, Enivaldo Ribeiro (PP), porém, o chefe do Executivo anunciou que vai vetar os aumentos destinados ao Executivo. Atualmente o salário do prefeito é de R$ 20 mil, porém, ele publicou um ato reduzindo os patamares para R$ 14 mil enquando durar a crise econômica. Caso aceitasse o novo reajuste, o salário dele iria para R$ 22,5 mil.

O reajuste e a implantação do 13º terá um impacto de R$ 900 mil por ano. O estudante de direito Luiz Felipe Nunes disse acreditar que a decisão dos parlamentares é absurda se for levado em consideração o atual cenário de crise econômica que vive o país. Ele foi candidato a vereador em Campina Grande, pelo DEM, nas eleições deste ano, mas não obteve êxito. Outro manifestante, Deyvison André, também foi postulante ao cargo de vereador pelo PTN, mas também não obteve votos suficientes para se eleger.

Outro lado

Por sua vez, o presidente da Câmara, Pimentel Filho (PSD), disse que vai entrar na justiça contra os manifestantes por depredação ao patrimônio público. Pimentel informou, ainda, que não vai revogar o reajuste salarial que, segundo ele, foi inferior à inflação dos últimos quatro anos. Em relação à implantação do 13º, Pimentel explicou que várias Câmaras espalhadas pelo país já implantaram o benefício e que também não vai revogar.

Com informações de Josusmar Barbosa, do www.jornaldaparaiba.com.br

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *