Nordeste amarga prejuízo de R$ 103,5 bilhões por causa da seca

roubo-de-agua

Roubo de água por pipeiros em Boqueirão. Foto: Divulgação/ALPB

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) deu números ao que os paraibanos vêm sentido na pele desde 2012. Um levantamento realizado pela entidade revelou um prejuízo de R$ 103,5 bilhões para o Nordeste até 2015. Os dados têm como base o Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, criado em 2012 e coordenado pelo Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. O fenômeno atinge 33,4 milhões de pessoas afetadas, que vivem no Semirário nordestino.

O estudo coloca a seca entre os fenômenos naturais extremos que ocorrem no país e incluem também as vítimas de enchentes e outros tipos de destruição. Contabilizando-se todos os fenômenos climáticos, a seca no Nordeste representou 60% do prejuízo total de R$ 173,5 bilhões em todo o país. O prejuízo gerado para a nossa região, desde 2012, representa mais que o dobro do Produto Interno Bruto (PIB) da Paraíba, usando para o cálculo os números apurados em 2013 (R$ 46,3 bi).

O levantamento é divulgado na mesma época em que o Estado enfrenta um dos períodos mais críticos da sua história no que diz respeito ao abastecimento e água para a população. O Açude Epitácio Pessoa, popularmente conhecido como Boqueirão, possui pouco mais de 5% da sua capacidade de acumulação de água. A única saída para o abastecimento na Paraíba é a chegada das águas da Transposição.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *