Dois desembargadores desistem de disputar a presidência do TJPB

Fachada_Tribunal_de_Justiça_da_Paraíba_pag.Pagina_3_cad.Caderno_1_Felipe_Gesteira_144376A disputa pela presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) terá dois desembargadores a menos do que a última relação divulgada. A lista final foi publicada na edição deste sábado do Diário da Justiça. Os desistentes foram os desembargadores Leandro dos Santos e José Aurélio da Cruz, este último uma grande surpresa para os membros da corte. Cruz antecipou a sua saída do comando do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para se lançar na disputa. Ele não revelou o motivo da desistência e o assunto não foi abordado publicamente pelos outros desembargadores.

A eleição será no próximo dia 16, durante sessão administrativa do Tribunal Pleno. Ao todo, 19 magistrados poderão votar. De acordo com o processo nº 375.038-8, referente à eleição para preenchimento dos cargos da Mesa Diretora do Tribunal de Justiça, para o biênio 2017/2018, e após pedidos de inscrição de nomes e, também, de desistências de candidaturas, a lista de candidatos ao cargo de presidente, por ordem de inscrição, é a seguinte: Saulo Henrique de Sá e Benevides, Márcio Murilo da Cunha Ramos, Joás de Brito Pereira Filho, Arnóbio Alves Teodósio, Carlos Martins Beltrão Filho, João Benedito da Silva e João Alves da Silva.

Para o cargo de vice-presidente estão na disputa os desembargadores Leandro dos Santos, Saulo Henrique de Sá e Benevides, Joás de Brito Pereira Filho, Arnóbio Alves Teodósio, Carlos Martins Beltrão Filho e João Benedito da Silva. Já para o cargo de corregedor-geral de Justiça os inscritos são os desembargadores Saulo Henrique de Sá e Benevides, Joás de Brito Pereira Filho, Carlos Martins Beltrão Filho, João Benedito da Silva e José Aurélio da Cruz.

O edital para inscrição aos cargos para a Mesa Diretora do Tribunal foi publicado no Diário da Justiça eletrônico, edição do dia 17 de outubro de 2016. Os interessados em se candidatar para concorrer aos cargos da mesa diretora – presidente, vice-presidente e corregedor-geral de Justiça – tiveram um prazo de dez dias, a contar da publicação do Edital, para a inscrição.

Eleição – Não poderá concorrer a qualquer um dos cargos o desembargador que já houver sido presidente; houver exercido quaisquer cargos de direção por quatro anos, consecutivos ou alternados ou for membro do Tribunal Regional Eleitoral. Por isso, não podem ser candidatos Luiz Sílvio Ramalho, Abraham Lincoln da Cunha Ramos, Fátima Bezerra, Marcos Cavalcanti, ex-presidentes, além de Maria das Graças Morais Guedes, presidente do TRE, e Romero Marcelo, vice-presidente do TRE. A desembargadora Maria das Neves do Egito está licenciada do cargo, mas poderá votar.

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *