Paraíba é rebaixada em ranking do Tesouro e não pode contrair empréstismo

Ricardo coutinhoO governador Ricardo Coutinho (PSB) não poderá mais recorrer aos empréstimos internacionais para socorrer o caixa do governo, castigado pela crise econômica. A Paraíba teve a nota rebaixada de B- para C+ pelo Ministério da Fazenda e, com isso, ficou de fora da lista de estados que apresentam “boa situação fiscal”, condição exigida pela União para referendar as operações de crédito. O Estado tinha pretensões de contrair mais de U$ 550 milhões (R$ 1,7 bilhão) em operações de crédito com instituições financeiras internacionais.

Os únicos estados que permaneceram na linha de frente, ao menos com a nota intermediária, foram Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraná, Pernambuco, Rondônia, Roraima e Tocantins. Há estados em situação bastante crítica, como Rio de Janeiro, Goiás, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, todos com notas D. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (20) no Boletim de Finanças Públicas dos Entes Subnacionais. O secretário de Planejamento do Estado, Tárcio Pessoa, foi procurado pelo Jornal da Paraíba, mas não retornou as ligações.

Entre as operações de crédito internacionais aprovadas pela Assembleia Legislativa da Paraíba e agora contingenciadas pelo governo federal estão os firmados com Corporação Antina de Fomento (R$ 250 milhões), Banco Interamericano (U$ 50 milhões), Banco Mundial (U$ 125 milhões) e Banco Europeu (U$ 125 milhões). O boletim destaca que a concessão de garantia pela União em operações de empréstimos tomados pelos estados, pelo Distrito Federal e pelos municípios está condicionada à análise da capacidade de pagamento (Capag) desses entes pelo Tesouro Nacional.

O Tesouro destaca, ainda, que, de maneira geral, no período de 2012 a 2015, houve expressivo aumento das despesas com pessoal, notadamente com inativos, o que, “conjugado com receitas próprias e transferências insuficientes”, resultou em reversão do resultado primário superavitário de R$ 18,9 bilhões em 2012 para déficits primários em 2013 e 2014 e um pequeno superávit de R$ 2,9 bilhões em 2015. No caso da Paraíba, o levantamento mostra um resultado primário negativo em R$ 270 milhões com o fechamento das contas de 2016.

Outro índice que contribuiu para o rebaixamento da nota da Paraíba no ranking foi a elevação do comprometimento com o gasto de pessoal, que chegou a 64,4% da Receita Corrente Líquida (RCL). Ao todo, oito municípios acumulam resultados ruins de acordo com o comprometimento da receita com pessoal. Ao todo, oito estados vão mal neste quesito, sendo Minas Gerais disparado o que se encontra em pior situação, com 78% da receita comprometida com o pagamento com o pagamento dos servidores públicos efetivos e comissionados.

 

comentários - Paraíba é rebaixada em ranking do Tesouro e não pode contrair empréstismo

  1. Mas, ora vejam. Sabemos que o Governo Temer tem mantido fogo cerrado contra o Governo da Paraíba, no tocante a seu desenvolvimento e obras públicas, tendo este Governador merecido a titularidade de Governador que mais se destacou em todo o Norte/ Nordeste/ Sudeste em bem cuidar das finanças públicas e liderança por conhecimento do que seja Governar e tomar conta e zelo pelo dinheiro do povo. Ao contrário do próprio Governo Federal que para obter os votos suficientes para aprovação de sua Emenda Constitucional precisou se reunir com políticos envolvidos na Lava-Jato e inclusive alguns da Paraíba, para aglutinar votos para passar essa famigerada PEC que só serve para estancar o desenvolvimento de pesquisa e extensão nas Universidades, Fundo de Poço para a Saúde que já é um caos, a Segurança Pública que de segurança pública não tem nada e sim, o que vemos é o Governo Federal solapar os Impostos da Nação em Benefício de alguns amigos entre aspas, chegados de última hora para usarem em seus Estados da maneira que quiserem no ensaio da velha política coronelista, voltando ao passado triste e miserável, onde se dizia: coloque a nomeação de cargo tal em nome do filho de compadre “A” e cargo tal em nome do filho de compadre “B”. O conhecimento e aptidão estão ficando para o lixo da história. E desta forma, voltando ao assunto que mais nos interessa, o rebaixamento da Paraíba no Ranking do Tesouro nada mais é que a ordem do todo poderoso Temer para engessara o trabalho do Governo da Paraíba e nos ver no grande atraso, para em 2018 os seus aliados, Maranhão, Cássio, e outros políticos nanicos tentarem reaver o Governo da Paraíba, pousando de bons moços e tentando serem os JAMES BOND da política. Ah! se o povo bravo e destemido da Paraíba tiverem vergonha tiram de vez estes maus políticos da vida pública, e, deixam quem quer dar aula de governar e bem cuidar de finanças públicas com zelo e respeito permanecer na política. Avante paraibanos de vergonha e abaixo os maus políticos.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *