Base aliada de Cartaxo ensaia “rebelião” para derrubar Durval Ferreira

Durval FerreiraOs vereadores eleitos neste ano, em João Pessoa, já iniciaram um movimento para tentar tirar do poder o atual presidente da Câmara Municipal, Durval Ferreira (PP), que se mantém no cargo nos últimos 10 anos, hora na base socialista, hora na base petista e agora na pessedista – um verdadeiro camaleão na opinião dos colegas, alguns antigos, outros prontos para assumir o cargo. E vem chumbo de todos os lados. O vereador eleito Leo Bezerra (PSB), o mais votado do pleito, já demonstrou o interesse de ocupar o cargo. A missão para ele não seria fácil, tendo em vista que o prefeito Luciano Cartaxo (PSD), reeleito para mais quatro anos, fez maioria na Casa e deve influir na escolha. Entre os cotados na base aliada está o vereador Marcos Vinícius (PSDB), que chegou a ser cotado para vice de Cartaxo.

Nos bastidores, o argumento para forçar a mudança é o de que Durval Ferreira não se reciclou e faz um mandato pífio como presidente da Casa. Além disso, os vereadores alegam que a Casa não pode ser tratada como uma capitania hereditária, com a cadeira de presidente tendo dono vitalício. “A Câmara não pode mais permanecer no atraso”, alfinetou, em reserva, um dos vereadores rebeldes. A escolha do novo comandante do Legislativo deve ocorrer até o fim do ano. Temas espinhosos como o reajuste do subsídio da categoria também começam a ser discutidos, só que por debaixo dos panos. A informação de que não haveria mudança nos patamares atuais, de pouco mais de R$ 15 mil, já foi descartada por pessoas próximas a Durval. A pressão começa nesta semana e só acaba no fim do ano.

comentários - Base aliada de Cartaxo ensaia “rebelião” para derrubar Durval Ferreira

  1. rubens figueiredo Disse:

    É inaceitável um presidente de uma câmara municipal permanecer no cargo por 10 anos, e manter um mandato por mais de 30 anos, isso tudo sem uma produção compatível. Reforma política já, abaixo as coligações e o instituto da reeleição em todos os níveis. Como podemos falar em democracia e direitos iguiais se alguns se apoderam dos cargos e usam o mandato apenas com o intuito de permanecer nele.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *