Vereadores de Santa Rita querem afastar Netinho… de novo

Crédito: Francisco França

Crédito: Francisco França

Seria preciso uma máquina de ponto de alta precisão para registrar a quantidade de vezes que a prefeitura de Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa, teve o comando trocado nos últimos quase quatro anos. A novela, iniciada com Reginaldo Pereira e Netinho de Várzea Nova, como prefeito e vice, teve enredo de pastelão e deve incorporar novos atores a partir desta terça-feira (26). O presidente da Câmara de Vereadores, Anésio Miranda (PSB), anunciou que vai colocar em votação mais um pedido de afastamento tendo como alvo o atual prefeito, Netinho (PR), por causa dos desmandos administrativos.

A denúncia que está sendo considerada para o afastamento pela direção da Casa está dividida em três eixos: atraso nos salários dos servidores sem que tenha havido descontinuidade na arrecadação e nos repasses federais; o não repasse de contribuições previdenciárias apesar do desconto em folha, e, por último, o desconto dos empréstimos consignados dos servidores sem o devido repasse do dinheiro para a Caixa Econômica Federal. Para afastar o gestor, serão necessários pelo menos 13 dos 19 votos possíveis na Câmara Municipal.

História

Esta é a terceira vez que um prefeito tem o afastamento do mandato votado pelos vereadores na atual legislatura, na cidade. O primeiro alvo foi o prefeito eleito, Reginaldo Pereira. Ele foi substituído no cargo pelo vice, Netinho de Várzea Nova. Não deu certo. Pouco tempo depois, descontentes com a opção, os parlamentares anularam a antiga votação e trouxeram Pereira de volta. Para concluir, depois de muitas confusões, idas e voltas, a Justiça afastou o prefeito, abrindo caminho para o retorno de Netinho. O vice, durante o período em que ficou fora do poder, teve que interpelar Pereira judicialmente para receber os vencimentos de vice-prefeito.

Caso o afastamento de Netinho de Várzea Nova seja concretizado, o cargo será assumido por um dos vereadores. O presidente da Casa, Anésio Miranda, disse que não vai ocupar o cargo, pelo fato de ser candidato à reeleição. Com isso, ele pediria licença sem vencimentos do cargo e outro parlamentar da mesa assumiria a missão. O blog entrou em contato com o atual prefeito para saber a opinião dele a respeito da votação na Câmara Municipal, mas não quis se pronunciar sobre o assunto.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *