“O tempo os espera”, diz Cunha sobre Manoel Júnior e Aguinaldo

Brasília- DF 14-07-2016 Sessão da CCJ que não aceitou os recursos do deputado Eduardo Cunha. Foto Lula Marques/Agência PT

Brasília- DF 14-07-2016 Sessão da CCJ que não aceitou os recursos do deputado Eduardo Cunha. Foto Lula Marques/Agência PT

O deputado federal cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) não tem escondido as mágoas em relação aos deputados federais paraibanos Manoel Júnior (PMDB) e Aguinaldo Ribeiro (PP). Os dois estavam entre os votos considerados certos por ele na tentativa de fugir da degola. Ao todo, 450 parlamentares votaram pela cassação, contra apenas dez favoráveis à manutenção do seu mandato. Entre eles estava o também paraibano Wellington Roberto (PR). Em declarações dadas ao Estadão, o carioca fez uma ameaças veladas contra os ex-aliados: ” Mas o tempo os espera”.

As declarações de Eduardo Cunha foram feitas durante a entrevista em que escolheu como alvo dos ataques o  secretário de Programa de Parcerias de Investimentos, Moreira Franco. O auxiliar do presidente Michel Temer (PMDB) foi visto pelo ex-deputado como peça-chave na engrenagem que culminou com a sua cassação. Ele acusou Franco de estar por trás de irregularidades no Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS), que é administrado pela Caixa e financia obras de infraestrutura. Segundo Cunha, a operação de financiamento do Porto Maravilha foi montada por Moreira Franco.

“Criou-se clima para votação naquela semana decidir, no meio do processo eleitoral e com a pressão de opinião publicada e televisada em cima dos parlamentares. Houve ali hipócritas. Rogério Rosso (candidato derrotado do Centrão à presidência da Câmara), Aguinaldo Ribeiro (líder PP), que passou a madrugada antes da votação me ajudando, e Manoel Junior (PMDB-PB), responsável por grande parte da minha defesa no Conselho, jamais poderiam ter votado contra mim. Mas o tempo os espera. A política detesta traidor”, afirmou o peemedebista em entrevista a O Estado de São Paulo.

Em contato com o blog, em entrevista recente, Manoel Júnior disse que não fez a defesa de Eduardo Cunha durante suas participações no Conselho de Ética, mas da legalidade. Ele nega as acusações de que teria mudado o voto por causa de pedido do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo. O peemedebista é o vice na chapa encabeçada pelo pessedista para a disputa da reeleição.

 

2 comentários - “O tempo os espera”, diz Cunha sobre Manoel Júnior e Aguinaldo

  1. jose rosildo f araujo Disse:

    Ladrao tem que estar na cadeia ou no paredaõ

  2. Carlos Alfredo Araujo Disse:

    ” Em política o queijo é o mesmo. Só mudam ratos! “(Autor desconhecido)

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *