Justiça nega direito de resposta a Cida no guia de Luciano Cartaxo

O juiz da propaganda eleitoral de mídia, José Ferreira Ramos Júnior, negou nesta quinta-feira (9) o pedido de direito de resposta no guia eleitoral do prefeito de João Pessoa e candidato à reeleição, Luciano Cartaxo (PSD), feito pela candidata da coligação “Trabalho de Verdade”, Cida Ramos (PSB). A socialista contestou a propaganda do pessedista que a acusa de ter empregado a irmã, Maria Elizabete Ramos de Franca, na Secretaria de Desenvolvimento Humano do Estado, na época em que comandava a pasta. A ação foi protocolada na madrugada desta quinta e pedia direito de resposta sob a alegação de que o guia eleitoral da coligação “Força da União por João Pessoa” tinha o objetivo de “degradar, ridicularizar, ferir a honra e a moral da candidata”.

O magistrado, ao analisar o caso, disse não ter verificado nos autos o intuito de degradar e ridicularizar, como o alegado pelos advogados da candidata e ressaltou que, na mesma proporção, foram veiculadas propagandas com teor similar feitas pela coligação “Trabalho de Verdade”, tendo como alvo familiares do prefeito Luciano Cartaxo. Na visão dele, nenhuma das peças publicitárias veiculadas durante o guia eleitoral e nas inserções contrariam o disposto pela legislação eleitoral. Na propaganda, além de Cida Ramos, o locutor fala que o governador Ricardo Coutinho (PSB), padrinho político da socialista, empregou irmãos quando era prefeito de João Pessoa (2004 a 2010).

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *