Executivo Legislativo 15:37

Governistas blindam Cartaxo e inviabilizam a CPI da Lagoa

Em meio aos protestos dos vereadores da oposição, a base governista na Câmara de João Pessoa ativou o rolo-compressor que deve culminar, nesta semana, com o arquivamento da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a investigar o suposto desvio de R$ 10 milhões nas obras de revitalização da Lagoa. A estratégia é descredenciar a denúncia e, na sequência, arquivá-la. O primeiro passo ocorreu na segunda-feira (26), quando a Comissão de Políticas Públicas promoveu uma reunião aberta, com cara de sessão especial, para que auxiliares do prefeito Luciano Cartaxo (PSB) rebatessem o relatório da Controladoria Geral da União (CGU).

Foto: Olenildo Nascimento/CMJP

Foto: Olenildo Nascimento/CMJP

A arma governista foi um relatório elaborado pela Caixa Econômica Federal que atestava a regularidade dos valores e serviços executados pela prefeitura na obra. O relatório da CGU é o ponto de partida para a CPI protocolada pela oposição. Nesta terça-feira, o vereador Lucas de Brito (PSL) apresentou um requerimento para a realização de uma sessão especial com a participação de representantes da Controladoria Geral da União. O argumento era o de que eles poderiam explicar, com transparência, as bases usadas para apontar o suposto desvio de recursos públicos na construção do túnel e na retirada de resíduos da Lagoa.

Os governistas, no entanto, derrubaram a convocação. As informações de bastidores indicam que ainda nesta semana o presidente da Câmara Municipal, Durval Ferreira (PP), decidirá pelo arquivamento da CPI. Ele foi notificado na semana passada de uma decisão judicial que cobra informações sobre o andamento da análise do pedido formulado pela oposição. Ou seja, nada de discussão sobre desvio de recursos nas obras da Lagoa.

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *