Propina da Odebrecht na Paraíba somaria quase R$ 2 milhões em valores de hoje

A propina paga pela Odebrecht por obras na Paraíba durante o governo de Tarcísio Burity, em 1988, somaria quase R$ 2 milhões em valores atualizados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPC-A), medido pelo IBGE. A denúncia sobre os valores pagos foi divulgada neste domingo (27) no programa Fantástico, da Rede Globo, com base em documentos guardados por uma ex-funcionária da empreiteira. No Estado, teriam recebido a propina pessoas cujos codinomes atribuídos pela Odebrecht foram “Graviola”, “Aviador”, “Tênis”, “Pardal” e “Pouca Telha”.

Reprodução: TV Globo

Reprodução: TV Globo

A obra em questão foi a construção das adutoras do complexo Gramame-Mamuaba, destinada ao reforço do abastecimento de água nas cidades de João Pessoa, Santa Rita, Bayeux e Cabedelo. A revista Fisco da época publicou matéria extensa falando da capitação de 6 bilhões de cruzados junto à Caixa Econômica Federal, algo em torno de R$ 132,9 milhões em valores de hoje, atualizados pelo IPC-A, para a construção de uma adutora de 2,5 quilômetros ligando as barragens de Gramame e Mamuaba à estação de tratamento e outra adutora de 36 quilômetros para distribuir água na Região Metropolitana.

Revista Fisco, nº 154, de 1988

Revista Fisco, nº 154, de 1988

Os documentos em poder de Conceição Andrade, a ex-funcionária da Odebrecht, listam mais de 500 nomes ou codinomes de pessoas beneficiadas com propinas, entre políticos, empresários e agentes públicos na década de 1980. A Polícia Federal afirma que está analisando a documentação. Conceição trabalhou na empresa por 11 anos. O pagamento, na época, segundo ela, foi feito em dólar – uma exigência dos responsáveis pela extorsão.

No caso da Paraíba, o documento que traz no cabeçalho “Adutora J. Pessoa” mostra no topo dos que receberam propina “Graviola”. Ele ficou com 55,5 milhões de cruzados, algo em torno de R$ 1,2 milhão em valores de atualizados com base no IPC-A. Em seguida vem “Pardal”, com 17,1 milhões de cruzados (R$ 379 mil); Tênis, com 8,5 milhões de cruzados (R$ 189,5 mil); “Aviador”, com 4,2 milhões de cruzados (R$ 94,7 mil), e, por último, “Pouca Telha”, com 1,4 milhão de cruzados, o que daria hoje R$ 31,8 mil.

Os valores têm como base o mês de setembro de 1988, conforme a data no cabeçalho do documento, e o último índice consolidado pelo IPC-A, no mês de fevereiro deste ano. Mesmo que as investigações avancem e sejam indicados os agentes públicos que teriam recebido a propina, o crime já estaria prescrito, de acordo com informações da Polícia Federal. Os documentos mostram apenas que o esquema de propina não é novo…

comentários - Propina da Odebrecht na Paraíba somaria quase R$ 2 milhões em valores de hoje

  1. Jacyrafalcao Disse:

    Agora esses ladrões querem dizer que o nosso País só teve robô no mandato do PT,faz muito tempo que na minha cidade os deputados só traziam alguma obra pra cidade se 50 por cento do valor ficasse pra ele.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *