Propina em João Pessoa: quem são “Graviola”, “Aviador”, “Tênis”, “Pardal” e “Pouca Telha”?

A reportagem divulgada no programa Fantástico, da Rede Globo, neste domingo (27), tem tudo para colocar uma pulga atrás da orelha de eleitores e políticos paraibanos. O relato de uma ex-funcionária da Odebrecht apresenta, com o uso de documentos, a informação de que a construção de uma adutora em João Pessoa teria resultado no pagamento de propina a um quinteto que teve a ele atribuído os seguintes apelidos: “Graviola”, “Aviador”, “Tênis”, “Pardal” e “Pouca Telha”.

Reprodução: TV Globo

Reprodução: TV Globo

O ano do documento é 1988, no governo de Tarcísio Burity. De acordo com Conceição Andrade, a ex-funcionária da Odebrecht, a lista dos beneficiados com propina da empreiteira soma mais de 500 nomes, entre políticos, empresários e agentes públicos na década de 1980. A Polícia Federal afirma que está analisando a documentação. Conceição trabalhou na empresa por 11 anos. O pagamento, na época, segundo ela, foi feito em dólar. Uma exigência dos responsáveis pela extorsão.

A planilha apresentada por Conceição não é a mesma tornada pública na semana passada, com mais de 200 nomes. Ela apenas deixa claro que o crime não é recente. Não há indicativo ainda do que foi doação legal e do que era meramente propina. A reportagem do Fantástico mostra que os beneficiados com as propinas, na lista de 1988, atendiam por “Almofadinha”, “Ceguinho”, “Sabiá”, “Mel”, “Whisky”, “Boca Mole”, “Gambá e “Pequeno Suíno”.

Mas afinal, quem são “Graviola”, “Aviador”, “Tênis”, “Pardal” e “Pouca Telha”?

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *