Protestos de rua fracassam no apoio ao impeachment de Dilma Rousseff

As ruas mostraram neste domingo que os políticos da oposição dependerão apenas deles para levar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) até o fim. Os números eram de impressionar antes dos protestos, afinal, apoiadores do impedimento iriam às ruas em 87 cidades de 22 estados brasileiros. Mas era só fogo de palha. Em João Pessoa, não mais que 200 pessoas saíram às ruas – um terço do necessário para lotar um VLT.

Brasília - Vestidos com camisetas nas cores verde e amarelo, manifestantes se reúnem em Brasília a favor do impeachment da presidenta Dilma Rousseff (Valter Campanato/ Agência Brasil)

Brasília – Vestidos com camisetas nas cores verde e amarelo, manifestantes se reúnem em Brasília a favor do impeachment da presidenta Dilma Rousseff (Valter Campanato/ Agência Brasil)

Em todo o Brasil, o que se viu foram ruas esvaziadas, que não lembravam nem os protestos de agosto deste ano, também considerados pouco efetivos. Em todo o Brasil, segundo contabilização divulgada pelo G1, com base em informações oficiais, 87 mil pessoas foram às ruas. Nos protestos, a maioria vestiu verde e amarelo e gritou “fora PT e leva a Dilma com você”. Mesmo em São Paulo não mais que 30 mil pessoas foram às ruas.

A pouca frequência nas ruas mostra claramente que a população não está convencida da culpa de Dilma Rousseff, acusada de crime de responsabilidade. É diferente de Fernando Collor, quando foi alvo de um impeachment em 1992. Entretanto, fica claro também que não será fácil para a presidente Dilma Rousseff e o PT mobilizarem defensores contra o impedimento. Até porque os atos pró-Dilma, até agora, foram muito singelos.

Ou seja, a arena para acusadores e defensores do impeachment será mesmo o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal. A população mais uma vez deixou de acreditar em mudança.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *