Em João Pessoa, PSDB está mais próximo do PMDB que de Cartaxo

A leitura geral foi uma só: o prefeito Luciano Cartaxo deixou o PT para se filiar ao PSD com o intuito de ampliar o leque de alianças para 2016. Entenda-se com isso ter o apoio do PSDB do senador Cássio Cunha Lima e outras siglas que teriam o veto certo do Partido dos Trabalhadores. Seria um contraponto ao já alinhavado desejo do governador Ricardo Coutinho (PSB) de lançar candidato. O script, porém, pode não sair de acordo com o desejado.

Foto: Hacéldama Borba

Foto: Hacéldama Borba

Dois sinais apontam neste sentido, ambos tendo o ex-deputado federal Ruy Carneiro como artífice. Primeiro ele fez críticas ao chumbo trocado entre Cartaxo e Coutinho, por não contribuir com a cidade. Segundo, ele apareceu na posse do senador José Maranhão (PMDB) em novo mandato de presidente da sigla. Na oportunidade, deixou claro que o PMDB é aliado preferencial. Pelo menos o PMDB de João Pessoa, comandado por Manoel Júnior.

Ruy Carneiro disse não se importar muito com o fato de o PMDB estadual estar mais próximo de Ricardo Coutinho. “Em caso de segundo turno, o partido pode até seguir um eventual candidato do PSB, mas Manoel Júnior, que é o mais importante, ficaria conosco. Ele já foi nosso aliado e continuará sendo”, disse o dirigente partidário. O tucano não descarta nem uma união no primeiro turno. “Teríamos que ver o critério para definir o candidato”, disse.

A posição de Carneiro vai em sentido contrário à dos vereadores do partido. Eliza Virgínia, Luiz Flávio e Marcos Vinícius estão alinhados com o prefeito Luciano Cartaxo. O último, inclusive, está licenciado da Câmara para ocupar a pasta da Comunicação da Prefeitura. O grupo já teve uma reunião com Cássio Cunha Lima para demonstrar o interesse de marchar com o gestor pessoense. Ou seja, tem muita água para rolar por baixo dessa ponte até o ano que vem.