Deputados estaduais protagonizam arranca-rabo na Assembleia Legislativa

Um dia depois de a Assembleia Legislativa ter aprovado por unanimidade, após manobra governista, a indicação para que o governador Ricardo Coutinho (PSB) encaminhe para a Casa uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) sugerindo a criação do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), houve arranca-rabo entre os parlamentares. Primeiro, Ricardo Barbosa (PSB) e Tovar Correia Lima (PSDB) precisaram ser contidos para não trocarem tapas no plenário da Casa. A segurança chegou a ser chamada pelo presidente Adriano Galdino (PSB). Depois, Galdino trocou “gentilezas” com Barbosa.

Tudo aconteceu depois que Tovar, membro da oposição, reclamou da manobra usada pela Mesa Diretora, nesta quarta-feira (25), quando fez a oposição votar favoravelmente ao requerimento que propunha a indicação enviada a Ricardo. A matéria constou no expediente da Casa, mas não na ordem do dia. Os deputados da oposição só souberam depois que tinham dado aval à solicitação encaminhada ao governo e que eles já haviam se posicionado contra. O deputado Bruno Cunha Lima (PSDB) também prometeu recorrer à Justiça para derrubar a votação.

Foto: Francisco França

Foto: Francisco França

Foi quando Ricardo Barbosa subiu à tribuna e fez um discurso duro contra o grupo. Em tom ácido, disse que os oposicionistas são incompetentes e garantiu que Tovar tinha conhecimento da inclusão do requerimento do TCM na pauta de votações. Foi quando o tucano voltou para a tribuna e criticou Barbosa pela agressão. De quebra, disse ainda que a postura “estabanada” do governista faria com que ele cumprisse apenas esse mandato, sem conseguir se reeleger. Barbosa é criticado pelo perfil “briguento” na Casa.

Quando Tovar terminou o discurso, Ricardo Barbosa vociferou que vai vencer a eleição para deputado federal, em 2018. Em seguida, partiu para cima do colega. Foi preciso que a “turma do deixa disso” segurasse os dois parlamentares, para evitar a troca de agressões físicas.O presidente da Casa, Adriano Galdino, então, chamou a segurança da Casa para conter os ânimos. Em seguida, repudiou a postura de Ricardo Barbosa, que, desta vez, se voltou contra o presidente da Assembleia, também filiado ao PSB. “Isso não é comportamento de parlamentar”, gritava Galdino.

Ricardo Barbosa acusou Adriano Galdino de estar querendo agradar alguém, mas não foi adiante nas acusações. Foi quando Galdino retomou a palavra e disse que “a Assembleia Legislativa não pode ser uma rinha de galo”. Logo depois, o presidente da Casa decidiu encerrar a sessão e deixou o Legislativo sem dar entrevistas. Ricardo Barbosa, recentemente, discutiu em plenário com a deputada Estela Bezerra (PSB), cujas postura foi comparada por ele à dos répteis que usam do mimetismo para se esconder.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *