Conteúdo 15:17

Manoel Júnior é criticado nas redes sociais por “ajudinha” a colegas

O deputado federal Manoel Júnior (PMDB) não poderia prever maré de azar maior nos últimos meses. Ao mesmo tempo em que se prepara para disputar a prefeitura de João Pessoa, enfrentou a agenda negativa de ser rejeitado para o Ministério da Saúde após figurar como favorito e, agora, é obrigado a dar explicações por conta das emendas em projeto para favorecer políticos banhados na lama da corrupção. Entre eles, um aliado seu, o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

MANOELjunior_Wendel Lopes_1

Manoel Júnior é relator do projeto da repatriação, que foi encaminhado pelo governo federal ao Legislativo. A ideia era permitir a legalização do dinheiro remetido ao exterior, desde que ele seja decorrente de sonegação fiscal, evasão de divisas ou lavagem de dinheiro relacionado ao envio desses valores. A meta era arrecadar R$ 11 bilhões com o pagamento de Imposto de Renda e multar quem obteve o dinheiro legalmente no Brasil, mas tentou escondê-lo do Leão.

É bom que se diga: neste rol não estava o dinheiro de corrupção. Não no texto original. Como relator, Manoel Júnior acrescentou na matéria que poderiam ser incluídos no programa recursos decorrentes de lavagem de dinheiro, caixa dois, descaminho, falsidade ideológica e até formação de quadrilha relacionada diretamente a esses crimes. Como se fosse pouco, ainda concedia anistia aos envolvidos. Só não seria alcançado, portanto, quem tivesse condenação transitada em julgado.

Isso abriria espaço para que figuras como o deputado federal Eduardo Cunha, com R$ 5 bilhões de dólares em bancos da Suíça, pudesse repatriar o dinheiro, recolher o imposto e pagar a multa e tudo ficaria por isso mesmo. O dinheiro voltaria para o Brasil limpinho. A proposta não chegou a ser votada na quarta-feira por causa de pressão da oposição. É possível que fique para a semana que vem, mas se não sofrer alterações, pode fechar o país para balanço.

Nas redes sociais, Manoel Júnior tem tido que se desdobrar em explicações para os internautas. Chovem acusações contra ele. As mais leves dizem que o peemedebista tenta acobertar a corrupção dos colegas de parlamento e empreiteiras. Lembro de uma frase muito dita pelo deputado federal de Pernambuco, Jarbas Vasconcelos (PMDB). Segundo ele, o candidato que comece sua caminhada dando explicações, começa errado.

O caminho de Manoel Júnior rumo às eleições, por isso, tende a ser turbulento.

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *