Nível baixo do debate em João Pessoa e Campina Grande é abissal

O nível do debate das oposições em João Pessoa e Campina Grande anda muito, mas muito baixo. De forma que o resultado disso, inequivocamente, será o fortalecimento dos gestores nas duas cidades. Enquanto em João Pessoa os vereadores se pegam em um simplismo de propaganda para procurar o lixo da Lagoa do Parque Solon de Lucena, em Campina Grande os parlamentares situados na oposição cobram o detalhamento das mil obras do prefeito.

Isso sem falar, no caso de João Pessoa, na vinda da Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados, a convite do deputado federal Wilson Filho (PTB), para verificar os problemas da saúde da capital como se eles existissem sem incluir a rede estadual. O grupo fechou os olhos aos hospitais do Estado e só deu uma passada no Hospital de Trauma após ser constrangido por perguntas da imprensa sobre se a comissão era teleguiada e restrita à prefeitura.

Mas vamos ser mais específicos. No caso de João Pessoa, a propaganda da prefeitura diz que foram tiradas 200 toneladas de lixo da Lagoa. Erro? Lógico. O secretário de Infraestrutura, Cássio Andrade, explicou que foram resíduos, que incluem areia, lama, pedras, lixo e água, já que não dá para separar ela da lama e da areia. Mas o fato é que água pesa. A oposição fala em R$ 8 milhões pagos. É preciso esclarecimento? Sim, sempre, mas o instrumento de guerra não deveria ser a denúncia, mas o fato, se ele existir.

A oposição acionou cinco órgãos de controle para cobrar esclarecimentos sobre as supostas irregularidades e omissão de informações da prefeitura. A denúncia foi protocolada no Ministério Público Federal e Estadual (MP), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Polícia Federal (PF) e Controladoria Geral da União (CGU). Estavam presentes os vereadores Raoni Mendes (PTB), líder da bancada de oposição, Renato martins (PSB), Zezinho do Botafogo (PSB) e o vereador Fuba (PT). Os dois últimos, governistas até recentemente, com cerca de 50 cargos no governo cada um.

Em Campina Grande, a polêmica criada pela oposição também ficou por conta de uma propaganda, criada pela prefeitura. A peça publicitária diz que a gestão municipal entregou mil obras em mil dias. Essa foi a senha para Murilo Galdino (PSB) apresentar requerimento na Câmara Municipal solicitando o detalhamento de cada uma das obras. Os governistas aprovaram e houve provocação do presidente da Casa, Pimentel Filho (PSD), garantindo que tudo vai ser repassado e alegando que a oposição será desmoralizada.

Enquanto isso, debates sobre mobilidade, atrasos em obras, obras paradas, denúncias fundadas na área da saúde e problemas na educação vão ficando do lado. Uma dica: os vereadores poderiam pegar o programa de governo de Luciano Cartaxo (PSD), de João Pessoa, e Romero Rodrigues (PSDB), em Campina Grande, e conferir se as promessas estão sendo cumpridas. A picuinha, meu amigo, só depõe contra a oposição.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *