Legislativo 12:35

Governistas reagem e dizem que CPI do Empreender é para a oposição aparecer

A proposta de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar supostos desmandos na concessão de empréstimos pelo programa Empreender, do governo do estado, foi tratada como descabida pela ala governista na Assembleia Legislativa. Os deputados Hervázio Bezerra e Estela Bezerra, ambos do PSB, fizeram coro nas acusações de que “a oposição está querendo apenas aparecer e ganhar mídia”.

Foto: Francisco França

Foto: Francisco França

A base de investigação da CPI do Empreender é um relatório da Controladoria Geral do Estado (CGE), que, ao analisar o programa, chegou à conclusão de que não há critérios rígidos para a concessão dos empréstimos, nem tampouco empenho para receber as parcelas. O autor da proposta, Dinaldinho Wanderley (PSDB), coletou 13 assinaturas e protocolou o pedido na Casa. O presidente da Assembleia, Adriano Galdino (PSB), tem cinco sessões para instalar ou não a CPI.

O argumento usado por Hervázio Bezerra para desmerecer a CPI é o fato de já tramitar no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) para investigar o suposto uso político do programa. De acordo com depoimentos tomados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), os empréstimos foram concedidos sem critérios claros e não houve cobrança dos valores emprestados. Isso, segundo as investigações, configuraria uso eleitoral do programa.

A rebordosa sobrou também para o deputado Anísio Maia, que, junto com Frei Anastácio, ambos do PT, foi censurado pelo presidente do partido, Charliton Machado. O petista alega que a decisão deles de assinarem o pedido de instalação da CPI não respeitou a orientação das instâncias partidárias. Anísio, um dos grandes defensores do governo, disse que será a favor de qualquer pedido de investigação, por entender que o governo deve primar pela transparência.

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    Arnóbio

    É só responder se é verdade que há 64% de inadimplência e se o governo está se negando a cobrar.

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *