Política 6:18

Schwartsman quis que a Covid matasse Bolsonaro. Ruy Castro sugeriu suicídio do presidente. Bolsonaro quis FHC executado

Em 2020, quando Jair Bolsonaro teve Covid-19, Hélio Schawartsman disse, num artigo na Folha de S. Paulo, que desejava a morte do presidente.

O ministro André Mendonça, da Justiça, acionou a Polícia Federal contra o articulista.

Agora, nesse início de 2021, Ruy Castro (Foto: divulgação), também na Folha, sugeriu que Bolsonaro tirasse a própria vida.

O ministro da Justiça pretende acionar a PF contra o jornalista e escritor.

Partamos do princípio de que essas coisas não devem ser escritas nos jornais.

Mas viajemos no tempo.

Na segunda metade da década de 1990, o então deputado federal Jair Bolsonaro afirmou que o presidente Fernando Henrique Cardoso deveria ser executado.

Está numa entrevista em que Bolsonaro defende o fechamento do Congresso, a tortura e a sonegação de impostos.

Voltemos aos dias atuais.

Quando minimiza a pandemia do novo coronavírus ou quando se posiciona contra a vacina, o que faz Jair Bolsonaro?

O presidente, por acaso, está se colocando do lado da vida?

Pode, então, seu ministro da Justiça botar a Polícia Federal em cima de jornalistas porque estes expressam o desejo de que o presidente morra?

No Brasil de Bolsonaro, da pandemia, dos 200 mil mortos e dos oito milhões de infectados, a morte anda se sobrepondo à vida.