Política 6:02

General Hamilton Mourão, além de profundamente desigual, o Brasil é, sim, um país racista!

“O episódio só demonstra que a luta contra o racismo e a barbárie está longe de acabar”

Gilmar Mendes, ministro do STF

Beto Freitas, homem negro de 40 anos, pai e marido, foi assassinado por dois homens que faziam a segurança de um estabelecimento da rede Carrefour, em Porto Alegre.

O crime ocorreu na véspera do Dia da Consciência Negra.

As imagens chocaram os que, no Brasil, não estão do lado da barbárie.

Mas o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, disse, serenamente, que não há racismo no Brasil.

O que há é desigualdade.

General, há racismo e desigualdade que atrasam o nosso processo civilizatório.

Ignorar o racismo contribui com o ambiente de violência e intolerância em que estamos mergulhados. Mais ainda quando o comentário vem do vice-presidente da República.

O general Hamilton Mourão não é branco e deveria saber o quão racista o Brasil é.

Intelectualmente mais preparado do que o presidente Jair Bolsonaro, fica parecido com este quando diz coisas assim.

Os tecidos social e político do país estão esgarçados. Pode ser um clichê, mas é absolutamente verdadeiro.

O assassinato de Beto Freitas está intimamente associado a este esgarçamento.

Nos Estados Unidos, o assassinato, por um policial, do negro George Floyd teve influência sobre a eleição presidencial.

Aqui, há um extenso e muito difícil caminho a percorrer.