Bolsonaro subestima jornalismo. Imprensa é maior que Bolsonaro

Bolsonaro pode até ser sabido para umas coisas.

Afinal, não é fácil chegar a presidente.

Mas, para outras, como ele é pouco inteligente!

O episódio envolvendo os números da Covid-19, Bolsonaro e a Rede Globo ilustra bem o que estou dizendo.

O boletim distribuído diariamente pelo Ministério da Saúde não entrou no Jornal Nacional da quarta-feira (03) porque só foi liberado por volta das 10 da noite.

Houve problemas técnicos – justificaram.

O boletim da quinta-feira (04) também não entrou no Jornal Nacional porque só foi disponibilizado lá pelas 10 da noite.

Problemas técnicos?

De novo?

Especulou-se que foi ordem do presidente.

Na sexta-feira (05), Bolsonaro não se conteve – ele tem dificuldades para se conter! – e confessou: Jornal Nacional? Rede Globo? TV funerária? Não!

Parece mentira, meus caros bolsominions, mas é verdade: o homem que vocês puseram na Presidência da República manda segurar os números oficiais de uma pandemia que atinge todo o planeta para que eles não sejam divulgados pelo Jornal Nacional.

Parece normal, devotos do presidente, mas não é!

Só que houve um desfecho que confirmou o compromisso que a imprensa deve ter com a população e lavou a nossa alma de jornalista.

Os números não estão disponíveis para o Jornal Nacional?

Não tem nada, não!

Pra que existe plantão?

Às 9:45, no meio da novela, entra no ar aquela vinheta devastadora.

Sim! Aquela vinheta que faz todo mundo correr para a frente da televisão!

E lá está William Bonner, com o cenário dos mortos pela Covid ao fundo, dando os números do dia, explicitando o tamanho da tragédia.

Li hoje cedo que o plantão de ontem à noite teve mais audiência do que o Jornal Nacional.

O presidente Jair Bolsonaro subestima o jornalismo, pensa que é maior do que este, mas, acreditem!, a imprensa é maior do que Bolsonaro!

Outros capítulos virão.