Mais Cultura 6:31

Mário Frias vai para a Cultura? Estará à altura de Bolsonaro

Uma brevíssima trajetória:

O Ministério da Cultura foi criado no início do governo de José Sarney, em 1985.

Com Fernando Collor, foi transformado em Secretaria de Cultura, ocupada tristemente pelo paraibano Ipojuca Pontes.

Com Itamar Franco, recuperou o status de ministério.

Michel Temer rebaixou a pasta mais uma vez, mas voltou atrás.

Jair Bolsonaro extinguiu o Ministério da Cultura.

Passou a ser Secretaria Especial de Cultura, vinculada estranhamente ao Turismo.

Com Bolsonaro, o secretário Roberto Alvim gravou um vídeo de nítida inspiração nazista, e o presidente foi forçado a demiti-lo.

Regina Duarte, bem, Regina Duarte foi essa novela que acabamos de acompanhar.

Cotado para o cargo está Mário Frias, um ator medíocre.

Se for ele, estará à altura de Bolsonaro.

Fecho com uma pequena galeria de ex-ministros da Cultura do Brasil:

José Sarney teve CELSO FURTADO (na foto, no tempo de João Goulart, com o presidente Kennedy).

Itamar Franco teve ANTÔNIO HOUAISS, nosso grande filólogo.

Fernando Henrique Cardoso teve FRANCISCO WEFFORT, intelectual ligado ao PT.

Lula teve GILBERTO GIL (na foto, em show na ONU, com o Secretário Geral Kofi Annan na percussão).