Regina Duarte foi desastre como secretária de Cultura. Já vai tarde!

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (20) que Regina Duarte está deixando a Secretaria Especial de Cultura.

Segundo o presidente, ela vai dirigir a Cinemateca de São Paulo.

A atriz (ou ex-atriz, como foi chamada em reportagem da Globo) assumiu o cargo no início de março.

A passagem de Regina Duarte pela Secretaria de Cultura foi um desastre.

Um desastre anunciado.

Era óbvio que não daria certo.

Deslumbrada, iludida com o governo, mas perfeitamente afinada com as ideias de ultradireita de Bolsonaro, Regina jogou no lixo da história a sua longa trajetória como atriz de televisão, cinema e teatro.

Em menos de três meses, foi duramente criticada pelos seus colegas de profissão e os envergonhou com o silêncio na morte de artistas importantes como Moraes Moreira e Aldir Blanc.

Regina Duarte foi fritada em praça pública pelo próprio presidente Jair Bolsonaro, mas não teve a dignidade de entregar o cargo.

Pelo contrário, permaneceu e reafirmou seu discurso de extrema direita ao se mostrar nostálgica da ditadura militar e admitir a tortura durante uma entrevista à CNN.

Um final melancólico para aquela que já foi chamada de namoradinha do Brasil.

Da Secretaria de Cultura, já vai tarde!