Eduardo Bananinha é pura ironia do general Hamilton Mourão

Foda-se a China!

Foi o que li na noite desta quinta-feira (19) nas redes sociais.

O autor do post pode ser um bolsonarista surtado.

Li também que a China vai ter que pagar pelo que fez com o mundo.

Aí já não está muito longe do que disse Eduardo Bolsonaro, o Zero Três do presidente Jair Bolsonaro.

O embaixador da China no Brasil jogou duro, mas reagiu à altura.

Disse o que era preciso ser dito.

Disse o que Eduardo Bolsonaro merecia ouvir.

O filho “intelectual” do presidente não pode atacar a China, um país amigo e grande parceiro comercial do Brasil, do jeito que ele fez.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, agiu certo. Desculpou-se em nome da casa legislativa que preside.

O chanceler Ernesto Araújo, como de costume, agiu errado. Sugeriu que o diplomata chinês precisa pedir desculpas a Eduardo.

Mas nada se compara ao comentário feito em rede social pelo general Hamilton Mourão, o vice:

O problema é que Eduardo é Bolsonaro.

Se fosse Bananinha, não haveria problema algum.

Tá certo, Mourão.

Eduardo Bananinha.

Danado é que isso pega!