Globo News dá aula de jornalismo. Bolsonaro, de irresponsabilidade

Neste domingo (15), a Globo News dedicou sua programação noturna a um especial sobre o coronavírus.

Foram seis horas com sinal aberto.

Uma aula de jornalismo ministrada pela equipe do canal de notícias da Rede Globo.

Guiados pelas paixões ideológicas, muitos reclamam, mas os que fazem a Globo News têm se mostrado imbatíveis.

Não é coincidência.

O especial foi produzido para ir ao ar no momento em que a CNN chegou ao Brasil.

Na minha opinião, para além da importância do seu conteúdo e do serviço que prestou, o programa da Globo News fez eloquente contraponto ao que vimos no início da tarde do domingo.

Sim. Refiro-me ao presidente Jair Bolsonaro, que saiu do isolamento a que estava recolhido no Palácio da Alvorada para um encontro com apoiadores/manifestantes reunidos em frente ao Palácio do Planalto.

Tive a paciência jornalística de acompanhar a sua live. Pouco mais de 70 minutos.

Não posso dizer que foi inacreditável porque nada que vem de Bolsonaro pode ser considerado inacreditável.

O presidente testa os seus limites e os da democracia brasileira e avança, a cada dia, rumo ao desconhecido.

Ontem, colocou em risco a sua saúde e a saúde das pessoas de quem se aproximou.

Ao minimizar a pandemia do coronavírus, desautorizou Henrique Mandetta, que, por enquanto, à frente do Ministério da Saúde, parece estar conseguindo fazer um trabalho sério de enfrentamento à doença.

Para onde Bolsonaro está indo?

Para onde ele está nos levando?

Quem vai contê-lo?

Neste domingo, se a Globo News deu aula de jornalismo em seu especial sobre o coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro deu aula de irresponsabilidade.