Antônio Barros faz 90 anos. Ele nasceu para compor sucessos

Antônio Barros faz 90 anos nesta quarta-feira (11).

O homem é um poderosíssimo hit maker.

Nasceu para isso. Para fabricar sucessos.

Se fosse americano, seria um milionário, de tanto que arrecadaria em direitos autorais.

Os que creem podem dizer sem medo de errar: Antônio Barros tem um imenso talento que Deus lhe deu.

Ele é um homem simples.

Sua música é feita com absoluta simplicidade, com os rudimentos de quem mal toca o violão.

Mas tem força.

Tem beleza.

Tem autenticidade.

É verdadeira.

Cola nos nossos ouvidos e não sai nunca mais.

Compôs um monte de sucessos. Alguns, a gente nem sabe, mas foi ele que fez.

Gravado por Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Trio Nordestino, Gilberto Gil, Elba Ramalho, Ney Matogrosso, é dono de um songbook invejável na música popular do Nordeste.

O meu Antônio Barros? O que está muitíssimo bem guardado na minha memória afetiva?

Ele sabe. Já lhe disse inúmeras vezes.

É o daquelas três marchinhas juninas gravadas pelo Trio Nordestino.

Brincadeira na Fogueira, Naquele São João e É Madrugada.

São lindas demais.

Vêm de regiões profundas do ser do Nordeste.

É com elas, em versão de Spok e Orquestra Forrobodó, que faço minha homenagem ao compositor no dia dos seus 90 anos.

Viva Antônio Barros!