Vídeo do leão na conta de Bolsonaro é grave ataque à democracia

Nesta segunda-feira (28), o dia em que fez um ano da eleição do presidente Jair Bolsonaro, um amigo me enviou um vídeo no qual um leão era ameaçado por um grupo de hienas.

No vídeo, o leão é identificado como Bolsonaro. As hienas são os que o presidente julga adversários. Ou inimigos mesmo. O STF, a ONU, a OAB, a Globo, o PT, etc.

No final, outro leão – um conservador patriota – surge para proteger o leão ameaçado. E, sob a ótica do bolsonarismo, tudo termina bem.

À primeira vista, me pareceu só mais uma manifestação da imbecilidade bolsonarista.

Pouco depois, vi na capa da Folha de S. Paulo que o vídeo fora postado numa conta oficial do presidente da República nas redes sociais.

Aí, de manifestação da imbecilidade bolsonarista, a coisa passou a grave ataque à democracia.

Sim! Isso mesmo! Sem qualquer exagero!

O presidente de um país – ou quem gere suas contas nas redes sociais – não pode postar um vídeo como este, que, explicitamente, ataca, de uma só vez, a ONU, a OAB, o Supremo, os partidos políticos e os veículos de comunicação.

Num tempo em que tudo é banalizado, parece normal. Mas não é!

O ataque que o vídeo contém às instituições e à liberdade de expressão é inaceitável para ser chancelado pelo próprio presidente.

A repercussão negativa fez com que a postagem fosse deletada. Mas o estrago já estava feito.

O vídeo do leão atacado pelas hienas foi postado na conta oficial do presidente no mesmo dia em que Bolsonaro disse que não cumprimentaria o presidente eleito da Argentina para parabenizá-lo pela vitória.

Outra afronta à democracia.