Não crer no homem na Lua era coisa de ignorante. Hoje, não mais!

Neste sábado, 20 de julho de 2019, faz 50 anos que o homem pisou na Lua pela primeira vez.

Neil Armstrong, primeiro, e Buzz Aldrin, logo em seguida, foram os pioneiros enviados ao nosso satélite natural a bordo da Apollo 11.

Michael Collins, o terceiro homem da missão, permaneceu na nave enquanto um pequeno módulo levou Armstrong e Aldrin até o Mar da Tranquilidade.

Eu tinha 10 anos. Sou contemporâneo. Vi ao vivo pela televisão.

Na época, e nos primeiros anos após o feito histórico dos astronautas americanos, havia pessoas que não acreditavam na ida do homem à Lua.

Lembro bem.

Não era ainda teoria da conspiração, mas simples descrença.

Coisa de gente sem instrução, sem escolaridade. Gente muito simples, sem informação, sem conhecimento ou contaminada pelo que há de mais atrasado nas religiões. Gente ignorante – como muitos diziam.

O tempo passou, e surgiram as teorias da conspiração sobre o homem na Lua.

Sabem aquelas coisas?

Kennedy não morreu. Elvis não morreu. Paul McCartney está morto.

As teorias são montadas para que as pessoas acreditem nelas.

Dia desses, vi Elvis velho cantando na igreja e visitando Graceland! Rsrsrs.

Com o voo da Apollo 11, não foi diferente.

Precisei de mais de 30 anos para perceber a mudança.

Já estávamos no século XXI, quando ouvi de um jornalista experiente e conceituado que o homem nunca fora à Lua.

O que ele chamava de evidências se misturava com deboche e alguma agressividade que impossibilitavam o diálogo civilizado.

Agora, nos 50 anos  da Apollo 11, o tema – o homem foi ou não foi à Lua? – está na mídia e nas redes sociais.

Com alguma tristeza, ouvi um jovem jornalista dizer que não acredita na chegada do homem à Lua. Não só jovem, mas talentoso, bem informado, inteligente, promissor.

Isso coincide com um momento em que muitos afirmam que a Terra é plana.

É provável que os que acreditam no terraplanismo não creiam no homem na Lua.

Felizmente, nem todos os que contestam a veracidade do projeto Apollo embarcam nessa maluquice de Terra plana.

Mas é lamentável que estejam do lado dos que negam evidências históricas e científicas.