RETRO2018/Tônia Carrero

Tônia Carrero morreu no fim da noite deste sábado (03/03), no Rio de Janeiro.

Internada desde sexta-feira numa clínica particular, a atriz estava fazendo uma pequena cirurgia quando teve uma parada cardíaca.

Grande dama do teatro, cinema e televisão, Tônia tinha 95 anos e não atuava mais.

Em 1982, levei Paulo Autran para conhecer o Espaço Cultural, ainda em obras. O ator era reconhecido nas ruas. As pessoas gritavam: “Baldaracci!”, nome de um personagem que viveu na televisão. Autran tinha uma queixa: “Fiz teatro a vida inteira e as pessoas só sabem quem eu sou por causa de uma novela”.

Como Autran, Tônia Carrero foi uma grande atriz de teatro. Com o cinema dos tempos da Vera Cruz, ganhou projeção nacional, mas as pessoas lembram dela principalmente por causa das novelas da Globo.

Tônia fez mais teatro do que cinema e televisão juntos, embora sua estreia tenha sido na tela grande. Foram 54 peças, 19 filmes, 15 novelas.

Nome fundamental da história do TBC (Teatro Brasileiro de Comédia), no palco ela foi de Pirandello a Sartre, de Shakespeare a Plínio Marcos.

Na foto, Paulo Autran e Tônia Carrero fazem Macbeth.

A atriz foi casada com Adolfo Celi, ator e diretor italiano que veio para o Brasil e atuou no teatro e no cinema.

A televisão só entrou em sua vida quando já tinha quase 50 anos.

Era de uma geração de admiráveis atores e atrizes que migraram do palco para as telenovelas.

E é por causa destas que será lembrada hoje por milhões de brasileiros que lamentam a sua morte.