Ricardo Coutinho diz o que fez de mais importante na cultura

Ricardo Coutinho sempre se identificou muito com a cultura. Desde que foi vereador pela primeira vez em João Pessoa. Também como deputado estadual e prefeito da capital.

Agora que está terminando seu segundo mandato como governador, pergunto:

O que Ricardo Coutinho fez de mais importante pela cultura nesses oito anos em que governou a Paraíba?

E ele responde:

-O primeiro avanço que eu acho que aconteceu nesses oito anos foi a construção e a recuperação de equipamentos culturais. Em 2010, a gente estava numa situação muito delicada. Os equipamentos eram muito ruins, estavam sem manutenção. E o governo conseguiu fazer um investimento muito alto.

O Santa Roza foram quase cinco milhões de reais e está totalmente recuperado, servindo a um público de formação de talentos e recebendo espetáculos para até 450 pagantes.

O Espaço Cultural foram 50 milhões de reais. Fizemos o novo Cine Banguê, o antigo foi transformado numa sala de concertos e recuperamos tudo, além do Paulo Pontes. Uma reforma fundamental naquele espaço tão importante.

O Cine Teatro São José, em Campina Grande, que era só promessa, nós investimos três milhões de reais e fizemos um grande polo multicultural.

O Teatro ICA, em Cajazeiras. Todo final de semana, de quinta a domingo, é casa cheia.

E agora, a gente ainda vai inaugurar o Teatro Santa Catarina, em Cabedelo. Mais de quatro milhões de reais. Estava acabado, vai ficar um belo teatro.

E, finalizando essa lembrança sobre os equipamentos culturais, o Teatro Pedra do Reino. É um teatro que colocou João Pessoa no cenário dos grandes shows. 

Em termos de equipamentos, estou falando de algo em torno de 150 milhões de reais. É muito forte.

Saindo da recuperação e construção de equipamentos, o governador inclui entre as ações mais importantes na área da cultura o Prima, que é o Programa de Inclusão Através da Música e das Artes.

-Nós estamos com 24 polos do Prima. Ou seja: 24 orquestras sinfônicas. A orquestra é a base do polo.

É um programa vigoroso, muito forte. Para se ter uma ideia, no último Enem, nove estudantes do Prima foram aprovados no bacharelado de música da UFPB. 

E tem a própria filosofia do programa porque todos os estudantes conseguem desenvolver um rendimento melhor no ensino, que é uma condição para a permanência no Prima. Então essa coisa dialoga com a questão da violência na sociedade. Veja o Renascer: a violência diminuiu não só por causa da polícia, mas também por uma série de políticas que deram uma perspectiva diferente à infância e à juventude.  

Pergunto por mais três destaques na área cultural, e o governador responde:

-A disseminação das artes na rede estadual de ensino. As escolas integrais adotaram muita arte, muita cultura como atividades transversais. 

-A Escola Técnica Estadual Integral de Artes.

-A escolha da Paraíba para recepcionar o acervo de Abelardo da Hora.