Mais Cultura 8:54

Lula é muito grande, mas o Brasil é maior do que ele

O ano era 1993.

Hospedado na casa de um deputado federal do PT de São Paulo, fui caminhar no Parque do Ibirapuera com o meu anfitrião.

A pergunta inevitável: por que o PT ajudou a derrubar o presidente Fernando Collor, mas não quis participar do governo de Itamar Franco, chegando ao ponto de punir Luiza Erundina quando esta aceitou um cargo no governo?

A resposta surpreendente: porque o projeto de poder do PT não é o Brasil, mas Lula, e Itamar atrapalha a sua concretização.

Ouvi com estranhamento, guardei e, de vez em quando, lembro da conversa.

Agora mesmo, em 2018, tenho lembrado bastante.

OK, Lula tem uma história extraordinária e fez um grande governo.

No caso do triplex, ele é inocente e está preso injustamente.

Mas o fato real é que o ex-presidente foi condenado em segunda instância por um colegiado e está inelegível pela lei da ficha limpa.

É aí que me vem a lembrança da conversa com o deputado petista.

A insistência do PT na manutenção da candidatura de Lula parece sugerir que o candidato e o partido se sobrepõem ao processo eleitoral, se colocam acima deste. Como se só a presença de Lula na sucessão presidencial conferisse legitimidade à eleição.

Lula livre? Sim.

Lula candidato? Não teremos.

Tenho ouvido de vozes do PT: Lula conseguirá manter a candidatura, será eleito e a bomba só vai estourar no momento da diplomação.

É isso o que queremos?

É disso que seremos reféns?

Qual será o custo?

A vitória da direita na ausência do campo progressista pragmaticamente organizado para a disputa?

Lula é muito grande, mas o Brasil é maior do que ele.