Fabiana Cozza não é branca! Uma mulher já foi Bob Dylan!

Estamos emburrecendo velozmente?

Claro que sim!

Não tenho dúvidas!

Fabiana Cozza não é negra o suficiente para viver Dona Ivone Lara no palco?

Quando pensamos assim, estamos de fato emburrecendo velozmente!

Apesar de todos os seus méritos e da aprovação da família da grande sambista, Fabiana Cozza, diante das pressões que sofreu e das duras críticas a ela dirigidas, desistiu de atuar no musical sobre Dona Ivone Lara.

Fabiana Cozza não é branca!

Fabiana Cozza é uma cantora absolutamente identificada com o mundo do samba!

Claro que ela poderia viver Dona Ivone Lara num musical!

“Tremenda injustiça, imenso e desagregador tiro no pé de quem persegue assim um irmão ou uma irmã militante da causa afro-brasileira”, disse muito bem Chico César no Instagram.

“São tiros no espelho”, afirmou o rapper Emicida.

De Dona Ivone Lara para Bob Dylan.

Conversando com um amigo sobre esse episódio envolvendo Fabiana Cozza, fomos parar em I’m Not There.

Ou Não Estou Lá.

Muitos fãs detestam, mas gosto imensamente desse filme sobre Dylan.

Em seu delírio narrativo, acaba sendo muito fiel ao universo criativo do artista e às suas esquisitices.

É um retrato dele tirado com muita liberdade.

Pois bem. Entre as seis pessoas que vivem Dylan na tela, confiram na foto: há um garoto negro!

O Zimmerman menino, vagando de trem em busca de raízes profundas da música americana, é um garoto negro!

E mais:

Há uma mulher entre os seis protagonistas!

Uma mulher fazendo Bob Dylan!

E que Bob Dylan!

Cate Blanchett, no papel do bardo judeu romântico de Minnesota, ganha dos demais!

Quase ganha do próprio Dylan!