Xangai faz 70 anos

O nome é Eugênio Avelino.

O nome artístico, Xangai.

Cantor dos muito bons.

Uma voz a nos transportar a belezas que às vezes estão longe de nós.

Nesta terça-feira (20), ele faz 70 anos.

Conheci Xangai no Projeto Pixinguinha de 1979.

O formato do projeto era show com uma dupla e um convidado.

A dupla: Elomar e João de Aquino.

O convidado: Xangai.

Ficamos amigos.

Produzi seu primeiro show em João Pessoa (1980) e acompanho com admiração sua carreira.

Respeito muito suas escolhas, mesmo quando discordo delas.

Xangai é um daqueles artistas que correm por fora.

E o faz como opção, por convicção de que deve ser assim.

É uma necessária reserva de qualidade e independência.

Os que gostam ficaram felizes quando ouviram a voz de Xangai em Velho Chico porque, no fundo, torcem para que sua música chegue a um público mais numeroso.

Ou porque é importante tê-lo onde parece improvável que isto aconteça.

Mas a praia de Xangai será sempre outra.

Ele canta Elomar muitíssimo bem. Só não o faz tão bem quanto o próprio Elomar.

E tem um jeito de fazer a divisão que vem lá de Jackson do Pandeiro.

O disco de Xangai cantando paraibanos, acompanhado pelo Quinteto da Paraíba, é primoroso.

Muito antes, em Kukukaya, já declarara seu amor pelos daqui.

Vê-lo ao vivo é sempre uma alegria.

Um abraço saudoso pra ti, Eugênio Avelino!