Música 9:28

Ronaldo Bastos, letrista do Clube da Esquina, faz 70 anos

A fé, a fé, paixão e fé, a fé, faca amolada

O chão, o chão, o sal da terra, o chão, faca amolada

 

Eu já estou com o pé nessa estrada

Qualquer dia a gente se vê

Sei que nada será como antes amanhã

 

Você pega o trem azul, o Sol na cabeça

O Sol pega o trem azul, você na cabeça

Um sol na cabeça

 

Eu queria ser feliz

Invento o mar

Invento em mim o sonhador

 

Quando entrar setembro

E a boa nova entrar nos campos

Quero ver brotar o perdão

Onde a gente plantou

Juntos outra vez

 

Quem não conhece esses versos?

São de Fé Cega Faca Amolada, Nada Será Como Antes, O Trem Azul, Cais e Sol de Primavera.

Melodias de Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes.

Letras de Ronaldo Bastos.

Ronaldo Bastos faz 70 anos neste domingo (21).

Fernando Brant, Márcio Borges e Ronaldo Bastos! Pois é! Ronaldo está nessa lista dos três parceiros mais importantes de Milton Nascimento. Figura imprescindível no Clube da Esquina, o grupo de artistas (mineiros ou não) formado na década de 1970 em torno da figura de Milton.

Tomemos os discos de Milton Nascimento. Do primeiro (Travessia, 1967) até o Clube da Esquina 2 (1978). Destaquemos as músicas que têm Ronaldo Bastos como letrista. Pronto! É o suficiente para que se perceba a sua dimensão entre os letristas do nosso cancioneiro popular.

A letra de Menino é dele:

Quem cala sobre teu corpo

Consente na tua morte

Talhada a ferro e fogo

Nas profundezas do corte

A de Amor de Índio, também:

Tudo que move é sagrado

E remove as montanhas

Com todo o cuidado

Meu amor

E tem as versões:

Nem o Sol, nem o mar

Nem o brilho das estrelas

Tudo isso não tem valor

Sem ter você

Ou:

Sinto quando alguém te interessa

Mesmo quando finges que não vês

Se desapareces numa festa

Eu já sei

Muita gente ouviu. Muita gente cantou.

Muita gente guardou na memória afetiva os versos de Ronaldo Bastos.