Música 10:14

Lau Siqueira assume insucesso do DVD de Zé Ramalho com Sinfônica

O secretário de Cultura, Lau Siqueira, se pronunciou nesta terça-feira (09) sobre o DVD de Zé Ramalho com a Orquestra Sinfônica da Paraíba.

Segue a mensagem que ele me enviou:

Li atenta e respeitosamente sua coluna de ontem, mas queria fazer algumas observações sobre sua coluna de hoje.

Em primeiro lugar, não sei de onde se tirou essa ideia do “lançamento do DVD de Zé Ramalho e Orquestra”. Isso não chegou a ser pensado, uma vez que se trata de um DVD promocional e não comercial, cujo resultado seria disponibilizado nas redes sociais. Um “lançamento” seria totalmente inviável, uma vez que não seria vendido e a distribuição com a massa de fãs de Zé Ramalho seria impossível. Pode ser que eu esteja enganado, mas nenhum momento falamos em distribuição ou lançamento, mas em registro.

Quanto ao DVD propriamente dito, contratamos profissionais respeitáveis e experientes do audiovisual paraibano para a execução de um trabalho que, concordo, ficou muito aquém do esperado. Por exemplo, não poderíamos supor que não tivessem colhido imagens do público e do teatro se a orientação era de, inclusive, fazer entrevistas. Isso me parecia óbvio. Na edição, não haveria como recuperar ou incluir o que não foi registrado. Portanto, ficou como ficou. É o que temos. Permanece o nosso respeito aos profissionais que realizaram o trabalho. Mas, obviamente que também não nos agradou. Só não vamos fazer cavalo de batalha nisso nem transferir culpas. Assumo integralmente o insucesso do registro.

Alguém falou em concerto na Praça do Povo, mas isso não passou de um desejo de muitos. Inclusive meu. No entanto, jamais ocorreu qualquer encaminhamento neste sentido.

Quanto aos ingressos, foram distribuídos na totalidade. Com exceção, claro, de alguns para os convidados do Zé Ramalho e do governador (não passou de 100). Felizmente, o público do Zé Ramalho é infinitamente superior a capacidade do teatro. Não haveria como abrigar todo mundo. Administramos esse problema no dia. Sinto pelos que não puderam testemunhar a beleza do concerto. Tínhamos cerca de dez mil pessoas no Espaço Cultural querendo o ingresso e o teatro comporta cerca de 3 mil. Lembro de gente que entrou na fila às 3h. Certamente que muitos voltaram para casa sem conseguir. Uma questão de lógica. Se houve favorecimentos? Jamarri Nogueira, na época assessor de imprensa da FUNESC, ficou sem ingressos. Só pra exemplificar.

Ainda bem que vc estava lá e viu o quanto tudo foi pensado nos mínimos detalhes. O DVD jamais poderia retratar integralmente o que foi aquela noite que, algumas pessoas esquecem, mas foi fruto de um grande trabalho de equipe. Foi uma produção que envolveu mais de 250 pessoas. O concerto foi maravilhoso, certamente, porque muita gente trabalhou para que fosse. Técnicos, produção, etc. O registro seria uma consequência, mas já não dependia de nós.