Música 6:45

O CD físico está morrendo! Viva o CD físico!

O CD físico está morrendo?

Parece que sim!

É só entrar numa livraria como a Cultura e verificar como as prateleiras estão vazias.

Em oposição a isso, tivemos nos últimos dois ou três meses uma série de ótimos lançamentos na música popular brasileira.

O objetivo desse post é listar alguns desses discos.

Fica, portanto, como sugestão aos leitores.

Caravanas, Chico Buarque – No primeiro CD de inéditas desde 2011, Chico oferece a quem o admira um grande disco. O repertório é formado por sete canções novas e duas já gravadas.

Cauby Canta Dick Farney, Cauby Peixoto – A despedida de um dos maiores cantores do Brasil. Dois meses antes de morrer, Cauby Peixoto se debruçou sobre o repertório de Dick Farney.

No Mundo dos Sons, Hermeto Pascoal – Hermeto e grupo voltam ao estúdio após um longo intervalo. Álbum duplo com tudo de bom que o bruxo de Alagoas sabe fazer. Música universal.

Sintetizamor, João Donato e Donatinho – João Donato se junta ao filho Donatinho para brincar com sintetizadores dos anos 1970. Vintage e contemporâneo. Que velhinho danado é Donato!

Palavra e Som, Joyce – Mais um disco gravado para o mercado japonês, que gosta mais de Joyce do que os brasileiros (uma pena). Aqui, ela apresenta um impecável repertório novo e autoral.

Caipira, Mônica Salmaso – Salmaso é uma das grandes cantoras do Brasil. Belíssimo registro vocal com técnica e emoção. Nesse CD, ela tira um retrato muito pessoal da nossa música caipira.

Omaggio a Jobim, Paula e Jaques Morelenbaum – O casal Morelenbaum volta mais uma vez ao repertório de Antônio Carlos Jobim. Paula e Jaques tocaram com Tom e sabem tudo dele.

Tribalistas, Tribalistas – Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte retornam a uma fórmula que fez muito sucesso. Os tribalistas de hoje são tão bons quanto os de 15 anos atrás.