Quero essa mulher assim mesmo! Baratinada! Alucinada!

É muito bom conversar sobre música. É o que a gente faz aqui nesse espaço.

Um jovem ouvinte de rock me propõe:

Escolha um rock brasileiro da pesada, demolidor, pouco conhecido! Somente um!

OK. O meu rock brasileiro da pesada, demolidor, pouco conhecido, é originalmente um samba.

Eu Quero Essa Mulher Assim Mesmo.

Vamos ouvir? Primeiro, como samba, na voz de Monsueto Menezes, o autor.

Agora, vamos ao rock.

Em Transa, último disco que gravou no exílio londrino, Caetano Veloso incluiu uma música de Monsueto, Mora na Filosofia.

De volta ao Brasil, depois do sucesso do LP ao vivo com Chico Buarque, com carta branca da gravadora para fazer o que quisesse, Caetano gravou Araçá Azul, um disco absolutamente (e radicalmente!) experimental. Foi campeão de devolução pelas lojas.

Numa das faixas, levou Monsueto mais uma vez para seu repertório, transformando num rock alucinado o samba Eu Quero Essa Mulher Assim Mesmo.

Um power trio (Lanny Gordin, guitarra, Moacyr Albuquerque, contrabaixo, e Tuti Moreno, bateria) o acompanha.

Vamos curtir?