“Até chegarmos ao orgasmo total! Orgasmo total!”

Gosto muito de datas.

Pois bem, hoje é o Dia do Orgasmo.

Meu editor sugere: que tal uma lista das músicas mais ousadas?

Vamos à pauta!

Quando eu era adolescente, tinha um disco chamado Super Eróticas. Só maiores de idade podiam comprar, e a capa vinha envolta em um plástico escuro. Saíram vários volumes. No primeiro, a faixa principal era Je T’ taime (Moi Non Plus).

Ousadia maior, mas pouco conhecida, foi a do casal John Lennon e Yoko Ono. No Wedding Album, tem uma longa faixa com a gravação dos dois fazendo sexo. Ela grita: John! E ele responde: Yoko! E assim por diante.

Em Homem, Caetano Veloso fala do que inveja nas mulheres:

Só tenho inveja da longevidade

E dos orgasmos múltiplos

Em Elegia, Caetano canta sobre versos de John Donne vertidos por Augusto de Campos e musicados por Péricles Cavalcanti:

Deixe que minha mão errante adentre

Atrás, na frente,

Em cima, embaixo, entre

Já em Medo de Amar No 2, o erotismo é com Simone, entre os gemidos da cantora:

E eu sinto o corpo mole

Eu quase que faleço

Quando você me bole e bole

E mexe e mexe

E me bate na cara

E me dobra os joelhos

E me vira a cabeça

Tem O Meu Amor, de Chico Buarque. Nas vozes de Marieta Severo e da estreante Elba Ramalho:

De me fazer rodeios

De me beijar os seios

Me beijar o ventre e me deixar em brasa

Desfruta do meu corpo como se o meu corpo

Fosse a sua casa

Roberto e Erasmo fizeram muitas canções eróticas ao longo dos anos 1970. Hoje, algumas parecem ingênuas. Como essa:

Cada parte de nós

Tem a forma ideal

Quando juntas estão

Coincidência total

Do côncavo e convexo

Assim é nosso amor, no sexo

De Rita Lee e Roberto de Carvalho, Mania de Você é outra que, com o tempo, ficou bobinha:

Nada melhor do que não fazer nada

Só pra deitar e rolar com você

E essa aí?

Orgasmo total! Até chegarmos ao orgasmo total!

Bem, essa é muito pouco conhecida!

Fecho com ela. Arrigo Barnabé.