“Os Dias Eram Assim” tem boa trilha sonora em CD duplo

A história de Os Dias Eram Assim começa no dia da final da copa de 70. Agora, a trama está em 1984, no momento da votação da emenda Dante de Oliveira, que restabeleceria as eleições diretas para presidente.

Já nas lojas em edição física, O CD duplo com a trilha da super série da Globo é bom painel da música brasileira do período.

Lançado pela Som Livre, o álbum contém 27 faixas.

Há músicas gravadas exclusivamente para a trilha (Aos Nossos Filhos, na voz dos atores principais. Tempo Perdido, com Tiago Iorc), mas predominam gravações da época em que se passa a trama.

Mesmo que o ouvinte não goste de alguns fonogramas compilados, não custa reconhecer que todos eles funcionam muito bem no conjunto. Até para quem não acompanha a série.

Há escolhas nada óbvias: Novos Baianos (Linguagem do Alunte), Walter Franco (Feito Gente, Mixturação), Vanusa (Atômico Platônico), Toni Tornado (Podes Crer, Amizade).

Outras são mais previsíveis, mas muito boas: Chico Buarque (Deus Lhe Pague), Chico e Milton Nascimento (Cálice), Elis Regina (Deus Lhe Pague, ao vivo), Gilberto Gil (Aquele Abraço), Mutantes (Ando Meio Desligado), Gal Costa (Divino Maravilhoso), Raul Seixas (Sociedade Alternativa).

Roberto Carlos está presente com Nossa Canção, tema dos personagens Renato e Alice. Secos e Molhados aparecem em quatro momentos: Sangue Latino, Flores Astrais, Amor e Fala. Baby Consuelo canta Menino do Rio. Erasmo Carlos, É Preciso Dar um Jeito Meu Amigo.

Quando o repertório avança para os anos 1980, temos Marina (Não Sei Dançar) e Legião Urbana (Índios).

O Bêbado e a Equilibrista (Elis), Coração de Estudante (Milton) e Caminhando (Geraldo Vandré) foram ouvidas na série, mas não entraram no CD.

A logo com letras verdes que a Som Livre usava na década de 1970 foi resgatada. Dá a impressão de que estamos manuseando um disco antigo.