Prefeito de Campina Grande erra, crente de que está acertando!

Insistir no erro parece ser característica do político brasileiro.

Vimos ontem com Dilma.

Vemos hoje com Temer.

Houve um momento em que os dois reduziram o governo a uma luta insana pela permanência no cargo.

Dilma, nos meses que antecederam a sua deposição.

Temer, agora.

Mas esse texto não é sobre a chapa vencedora de 2014.

É sobre o São João de Campina Grande.

E sobre a capacidade de insistir no erro.

Na semana passada, a partir de uma entrevista de Elba Ramalho, vimos na mídia e nas redes sociais uma intensa discussão sobre a descaracterização do Maior São João do Mundo.

A grade de shows abriu espaço excessivo para artistas sem qualquer vinculação com as tradições das nossas festas juninas, em detrimento de tantos que têm esse vínculo.

OK. É bom para o mercado. É bom para a terceirização do evento. Asseguram os que defendem a mudança.

Certo. Mas e o compromisso que os governos devem ter com o que vai muito além do mercado e da terceirização?

Onde está esse compromisso?

Ao fato: amanheci nesta segunda-feira (12) diante de um vídeo gravado num celular. Nele, o prefeito Romero Rodrigues, durante o show do cantor Pablo, diz ao público do Parque do Povo que vai anunciar uma atração surpresa. Sim! Para a noite de 24 de junho, dia de São João!

Confesso minha ingenuidade: por um instante, acreditei que fosse um grande e inquestionável nome do forró. Como resposta sensata da prefeitura a todo o debate da semana passada.

Que nada!

É Marília Mendonça!

Preciso comentar?