Show de Roberto Carlos tem grandes surpresas

Fui ver Roberto Carlos ao vivo em João Pessoa nesta quarta-feira (10).

O show repete a muitíssimo bem-sucedida fórmula que o Rei adota há anos: o set list compila uma série de hits e acrescenta alguma canção nova. Dessa vez, duas (Chegaste e Sereia, hits instantâneos).

Não precisa de nada além disso. É sempre um grande show de um artista extraordinário.

Mas Roberto surpreendeu dessa vez com três números muito especiais.

Antes, um intervalo para a foto cedida pelo amigo Carlos Lira.

Um desses números foi, para mim, o maior momento do show: Quero que Vá Tudo pro Inferno.

Esperei décadas para ouvi-la ao vivo com o Rei!

Roberto tem transtorno obsessivo compulsivo. Uma doença que o atormenta e que o fez banir canções do seu repertório. Uma delas era esta, sucesso avassalador da época da Jovem Guarda.

Voltar a cantá-la é uma vitória pessoal na luta contra o transtorno. E um presente para seus fãs.

O artista superou (ao menos parcialmente) o TOC, e o público comemora, ouvindo e cantando essa canção tão imensamente transgressora em sua época.

Outra grata surpresa do show: a inclusão de Sua Estupidez, canção de 1969 que não costuma frequentar o set list do Rei. Eduardo Lages ao piano, grande performance vocal do artista. Belíssima canção!

Mais uma surpresa: Se Você Pensa, do remoto ano de 1968, outra da fase soul do artista. Versão maravilhosa! Atual! Totalmente funkeada!

(Mais uma foto de Carlos Lira)

No mais, as mesmas emoções dos outros shows do Rei. Emoções & Detalhes & Além do Horizonte & Outra Vez & Desabafo & Como Vai Você & Olha & Lady Laura & O CalhambequeNossa Senhora & Como É Grande o Meu Amor Por você & Jesus Cristo!

Todas bem guardadas na memória afetiva do seu público.

Que voz! Que carisma! Que banda! Que show!

Que Noite!

Por tudo isso, nós o chamamos de Rei!