França vai às urnas dividida entre centro e extrema direita

Igualdade, fraternidade, liberdade!

Aprendi logo cedo como algo que remetia à França. Como contribuição da França ao mundo.

Em casa, acho que ouvi a Marselhesa antes de, na escola, saber da Revolução Francesa. Para mim, é o mais belo de todos os hinos nacionais.

Ainda hoje, encho os olhos de lágrimas na cena de Casablanca em que a Marselhesa se sobrepõe ao canto dos nazistas.

Com aquele “viva a França, viva a democracia!” do final da sequência.

Vamos ver?

A França e seus legados.

Balzac, Hugo, Sartre e Simone, Camus, Renoir, Godard, Truffaut, Debussy, Ravel, Bardot, Moreau, Delon, Piaf, Aznavour. A Resistência. A Nouvelle Vague. O maio de 68.

Neste domingo (07), os franceses estão indo às urnas.

Divididos entre o centro (Macron) e a extrema direita (Le Pen).

As eleições na França não têm a ver somente com o destino dos franceses. Nem da União Europeia.

As eleições na França falam alto ao mundo sobre o recrudescimento das forças de extrema direita.