Zé Américo nasceu há 130 anos!

Quando eu era criança, uma figura de dimensão nacional estava ali ao nosso alcance, bem perto de nós, no terraço da sua casa, no Cabo Branco.

Era José Américo de Almeida, o político, o escritor.

Eu ia à praia aos domingos, meu tio estacionava o Jeep em frente à casa dele e mostrava: lá está o homem que escreveu A Bagaceira!

Meu pai era dos comunistas que não gostavam de Zé Américo. Mas ele costumava dizer que havia os comunistas que gostavam. E citava sempre o amigo Vladimir Carvalho (na foto, com o irmão, Walter, filmando O Homem de Areia). Era bom. Eu ficava entre as virtudes e os defeitos do homem. Provocava meu senso crítico.

Vendo, agora, Zé Américo de longe, penso no quanto A Bagaceira é indispensável! E penso em A Paraíba e Seus Problemas. Tinha um na estante do meu pai. Os garotos de hoje, ricos de informação e pobres de conhecimento, certamente nem ouviram falar!

José Américo de Almeida! Tem a entrevista que derrubou a ditadura de Vargas! Tem o discurso a Prestes! Tem o enfrentamento da seca – as imagens, impressionantes, tive o privilégio de vê-las exibidas por quem as fez, o fotógrafo João Cordula! No tempo em que a Paraíba tinha um Cinema Educativo!

O Homem de Areia, o documentário de Vladimir Carvalho, está aí e pode apresentar Zé Américo a muita gente.

Nesta terça (10), faz 130 anos do nascimento de José Américo de Almeida.