RETRO2016/Discos que “Ouvi e Gostei” no ano que termina

Ouvi e Gostei é um espaço que ocupo no site da Cabo Branco FM, comentando discos. Alguns títulos que se destacaram estão aqui, somando-se a outros que já incluí na minha retrospectiva de 2016.

INVITATION TO ILLUMINATION/Carlos Santana e John McLaughlin

Santana apareceu fundindo o rock com os ritmos latinos. McLaughlin surgiu tocando com Miles Davis na fusão do rock com o jazz. Em 1973, já consolidados, os dois guitarristas se encontraram para gravar um disco que homenageava John Coltrane, mestre do jazz. Em 2011, passadas quase quatro décadas, eles se reencontraram no Festival de Montreux. A íntegra do concerto está no CD duplo (também em DVD e BD) que chega agora ao mercado brasileiro. Verdadeira aula de música, show de virtuosismo, a performance de Santana/McLaughlin é puro deleite para quem os admira.

FALLEN ANGELS/Bob Dylan

Bob Dylan volta ao repertório de Frank Sinatra. No ano passado, foi em “Shadows in the Night”. Agora, aos 75 anos, em “Fallen Angels”. Dylan perdeu a condição vocal há mais de duas décadas, mas isto não o impede de gravar canções imortalizadas por The Voice. Ele faz ao seu modo, como quem busca as fontes, as matrizes do grande american songbook. O ouvinte não deve procurar Sinatra nas gravações. Ao contrário, deve ouvir essas canções pensando que elas soam como Bob Dylan. O repertório mistura músicas muito conhecidas com outras dignas de lados B.

75th BIRTHDAY CELEBRATION/Joan Baez

Nos anos 1960, Joan Baez foi musa do folk e da canção de protesto, namorada de Bob Dylan, cantou para Martin Luther King na marcha sobre Washington e esteve em Woodstock. Não é pouca coisa. Agora, está com 75 anos. Seu aniversário foi celebrado em janeiro com um concerto memorável no Beacon Theatre, em Nova York. O show se transformou num álbum duplo em que Baez divide o palco com Paul Simon, David Crosby, Judy Collins e Emylou Harris. No set list, “The Boxer”, “Gracias a la Vida”, “Swing Low, Sweet Chariot” e “Forever Young”. Primoroso!

GEORGE FEST/Dhani Harrison e convidados

Quem cuida da memória do beatle George Harrison é seu filho, Dhani. Shows, relançamento de discos – é tudo com ele, músico como o pai. Aqui, temos um longo concerto com o repertório básico de George, canções dos tempos dos Beatles e outras da carreira solo. No elenco, veteranos e jovens artistas se misturam em versões geralmente muito parecidas com os originais. A fidelidade ao universo musical de Harrison é, portanto, uma das marcas desse tributo gravado nos Estados Unidos. O próprio Dhani participa em alguns números, cantando e tocando. Dois CDs e um DVD.

LIVE IN SAN DIEGO/Eric Clapton

Nos últimos meses, desde que Eric Clapton anunciou que sofre de neuropatia periférica, três discos seus chegaram ao mercado: um trabalho inédito de estúdio, uma coletânea tripla do festival de guitarristas que promove há mais de uma década e, agora, um duplo ao vivo gravado em San Diego. O show traz o Clapton que conhecemos no palco: exímio guitarrista, executando e cantando repertório autoral e clássicos do blues. O artista tem o amigo J.J. Cale como convidado. Cale, que participa em várias faixas, é autor de “After Midnight” e “Cocaine”, dois grandes êxitos de Clapton.

QUEEN ON AIR/Queen

Já imaginaram uma emissora de rádio que recebia em seu estúdio, para performances ao vivo, grupos como os Beatles, o Who, o Led Zeppelin, o Queen? Era o que ocorria na BBC de Londres, nas décadas de 1960 e 1970. Muitas dessas apresentações viraram discos. O mais recente é o do Queen. O material completo está em seis CDs. No Brasil, a Universal lançou uma edição com dois discos. São gravações feitas entre 1973 e 1977, quando, para muitos, a banda liderada por Freddie Mercury estava em seu melhor momento. Irresistível para os fãs do quarteto.