Obama entrega museu afro-americano, mas conflitos raciais persistem

obama

A pouco mais de 100 dias de deixar a presidência, Barack Obama inaugurou o Museu Nacional de História e Cultura Afro-Americana, em Washington. Um projeto centenário, só agora concretizado.

Para além da obra física, tem uma força simbólica. Como marca do primeiro afro-americano na presidência dos Estados Unidos.

Para os que cresceram vendo uma América conflagrada pelos conflitos raciais, a chegada de Obama à Casa Branca tem um significado profundo.

Mas, na saída, apesar de todos os avanços, os conflitos persistem. Como vimos em Tulsa e Charlotte.

O museu inaugurado por Obama conta uma história sem a qual os Estados Unidos não seriam o que são. O jazz, como legado afro-americano, talvez possa resumir tudo!

O museu fala dessa história. Mas, se quisermos, aponta também para o que ainda está muito longe de ser resolvido.