Facebook remove foto de garota vietnamita e abre debate sobre liberdade de expressão

No Dia Mundial da Fotografia, postei três fotos aqui na coluna: os músicos de jazz reunidos no Harlem em 1958; Jack Ruby matando Lee Oswald, o suposto assassino de Kennedy; e a garota vietnamita queimada pelo napalm durante um bombardeio à sua aldeia.

Nesta sexta-feira (09), leio que a foto da garota vietnamita abriu um debate sobre liberdade de expressão na Noruega depois que o Facebook a removeu de uma postagem.

Criança vietnamita

A foto, de 1972, é de Nick Ut, que trabalhava para a Associated Press. Mostra a menina Kim Phuc correndo nua, queimada pelo napalm que os americanos jogaram sobre a aldeia onde ela morava.

É uma foto icônica. Faz parte da história do século XX. Pode (e deve) ser mostrada em qualquer canto.

Por que não no Facebook?

A explicação para a remoção é de que o Facebook tenta “encontrar o equilíbrio entre o que é permitido para que as pessoas se expressem, mantendo uma experiência segura e respeitosa para a nossa comunidade global”.

O Facebook revela a dificuldade de criar uma distinção entre permitir ou não a postagem da fotografia de uma criança nua.

Não é convincente a explicação. É, no mínimo, incompatível com o papel que o Facebook desempenha na mídia social.