Rolling Stones voltam desnudados, mas plugados

Em meados dos anos 1990, os especiais unplugged, da MTV, estavam na moda. O artista, desplugado, tocava para uma pequena plateia. Eric Clapton fez, Paul McCartney, Bob Dylan, Rod Stewart, até o Nirvana. Era um sucesso absoluto.

Em 1995, em meio à turnê “Voodoo Lounge”, os Rolling Stones resolveram aderir ao modismo. Como são politicamente incorretos, fizeram ao modo deles. Nem unplugged, nem na MTV. Foram intimistas, sim, mas apenas desnudados. Meio elétricos, meio acústicos.

O disco “Stripped” foi lançado no final de 1995, no mesmo momento em que o primeiro volume da antologia dos Beatles chegava às lojas.

Agora, passados 21 anos, o “Stripped” está de volta e se chama “Totally Stripped”. No Brasil, a Som Livre já colocou no mercado a edição standard com um CD e um DVD.

Durante a turnê “Voodoo Lounge”, os Rolling Stones fizeram alguns shows para pequenas plateias e algumas regravações em estúdio. Esse conteúdo gerou o disco de 1995 e um documentário exibido na televisão.

O “Totally Stripped” revisita todo o material. Mas a edição brasileira contém apenas um DVD com o documentário da época e um CD com 14 faixas.

O “Stripped” de 1995 era mais acústico. O “Totally” de 2016 é menos. O de 1995 era mais lado B. O de 2016 tem diversos lados A. Não faz diferença, se você é fã da banda!

O essencial é: os Rolling Stones estão irresistíveis no formato. Vamos traduzir assim: plugados e desnudados!