INSS cancela auxílio-doença de 2,2 mil paraibanos

Segurados são convocados por carta para realizar perícias no INSS (Imagem: Bom Dia Brasil/Rede Globo)

Número equivale a mais de 85% do total de benefícios revisados. Mais 10.500 deverão passar por perícias, na Paraíba

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) cancelou o auxílio-doença de 2.260 paraibanos, desde o segundo semestre do ano passado, quando começou o ‘pente-fino’ nos benefícios.  O Governo Federal fala em uma economia anual de R$ 34,2 milhões, só com os cortes já feitos no Estado, até agora. No País, o governo estima que economizou R$ 2 milhões dos cofres públicos. Mas, alguns beneficiários reclamam de injustiça.

A informação foi repassada ao blog, na tarde desta sexta-feira (19), pela assessoria de imprensa do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). Os dados se referem aos benefícios revisados até o último dia 12. No Estado, a revisão deve atingir 13.221 beneficiários.

O MDSA informou que foram realizadas, até agora, 2.644 perícias em segurados da Paraíba e que elas resultaram no cancelamento de 2.046 benefícios. Outros 214 auxílios foram suspensos, porque os beneficiários não compareceram às perícias marcadas.

Estão passando pelo ‘pente-fino’ benefícios de segurados que recebiam o auxílio-doença e há mais de dois anos não passavam por avaliação médica. No País, segundo reportagem do Bom Dia Brasil, muitos segurados que tiveram seus benefícios cancelados disseram que não tinham condições de trabalhar e que foram cortados injustamente, entre eles, um paraibano.

Convertidos em aposentadoria

Mas, nem todos os números são ruins. Segundo o balanço parcial, na Paraíba, 367 benefícios foram convertidos em aposentadoria por invalidez, 75 em auxílio-acidente, oito em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25% no valor do benefício e 148 pessoas foram encaminhadas para reabilitação profissional.

Pessoas saudáveis recebiam, diz governo

Em todo o País, já foram cancelados 81% dos benefícios revisados, segundo o MDSA. As revisões periódicas são obrigatórias, mas não estavam sendo realizadas pelo governo passado, de acordo com a assessoria do órgão.

“Essa reversão é um demonstrativo de que as pessoas estão saudáveis e aptas para retornar ao trabalho”, destacou o secretário-executivo do MDSA, Alberto Beltrame.

As convocações estão sendo feitas através de cartas. Ao recebê-las, os segurados têm cinco dias úteis para agendar suas perícias pelo número 135. Quem não agenda ou não comparece no dia marcado, tem o benefício suspenso.

Números do ‘pente-fino’ no País

  • 126.237 perícias realizadas
  • 102.632 benefícios cancelados (81%)
  • 17.397 benefícios convertidos em aposentadoria por invalidez
  • 629 benefícios convertidos em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25%
  • 1.340 benefícios convertidos em auxílio-acidente
  • 4.239 segurados encaminhados para reabilitação profissional

Andréa Batista, com Ascom/MDSA

 

 

Comente INSS cancela auxílio-doença de 2,2 mil paraibanos

  1. Reinaldo Disse:

    Antes de infortunar essa massa de miseráveis , esse governo deveria cobrar da massa empresarial os bilhões devidos a previdencia social. Até agora só vimos a corda arrebentar no lado mais fraco ou seja, no trabalhador.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *