Instituto Histórico fechado por falta de verba do Governo do Estado

(Imagem: Nicácio Sales em contribuição ao Google Maps)

Talvez a instituição cultural mais antiga da Paraíba, fundada em 1905, o Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (IHGP) fechou para o público neste mês de maio em razão do atraso de cinco meses no repasse da subvenção do Governo do Estado.

A denúncia, encaminhada por leitor, teve sua procedência confirmada pelo blog, que anteontem solicitou esclarecimento à Secretaria Estadual da Educação e ontem (11) obteve a informação segundo a qual o repasse dos recursos ainda não foi efetuado

“O processo de repasse do recurso encontra-se na Gerência de Planejamento, Orçamentos e Finanças (GPOF), da Secretaria de Estado da Educação (SEE), para pagamento”, comunicou a Assessoria de Imprensa do órgão, após contato com o secretário Aléssio Trindade, que se encontrava em São Paulo participando de reunião do Consed – Conselho Nacional de Secretários de Educação.

Segundo a própria página do Instituto na Internet, o IHGP é uma entidade cultural sem fins lucrativos, fundado em 7 de setembro de 1905 “por um grupo de intelectuais e políticos com intensa participação na vida pública e sob o incentivo do engenheiro militar Álvaro Lopes Machado, presidente do Estado”.

A finalidade do IHGP é “promover e divulgar, no âmbito do Estado da Paraíba, estudos, pareceres e pesquisas de história e geografia bem como suas ciências auxiliares e correlatas, contribuindo para um melhor conhecimento da realidade paraibana sob os aspectos histórico, geográfico, político, social e econômico”.

Fonte permanente de pesquisa para estudantes, professores e historiadores, a biblioteca do Instituto é formada por cerca de 30 mil títulos, entre livros, periódicos e folhetos, incluindo uma Seção de Obras Raras com 868 títulos perfazendo um total de 1.465 obras, nacionais e estrangeiras, publicadas nos séculos XIX e XX, cobrindo o período de 1801 a 1983.

O arquivo do IHGP reúne 32 mil documentos, vários manuscritos, “que permitem a pesquisa sobre os períodos colonial, imperial e republicano no que tange à história nacional, regional e, especialmente, a local. Nesse arquivo estão incluídos os fundos privados sob custódia”. O acervo ainda comporta a Coleção Paraibana, com 3 mil volumes de obras de autores paraibanos ou de autores nacionais e estrangeiros sobre a Paraíba.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *