Excluído do São João de Campina, Alcymar Monteiro chama evento de ‘festival de horrores’

Alcymar: “Maior Breganejo do Mundo” (Foto: Sertão Baiano)

Excluído do rol de artistas que se apresentarão no São João de Campina Grande em 2017, o cantor Alcymar Monteiro postou hoje (19) em sua página de Facebook um vídeo no qual chama o evento de aberração, festival de horrores e “o maior festival de breganejo” do mundo.

“O São João está virando uma festa estereotipada, de pessoas que nada têm a ver com a nossa cultura () Campina Grande eu posso dizer que o maior festival de breganejo do mundo e você, que está promovendo isso, devolva o nosso São João”, disse, provavelmente referindo-se ao prefeito da cidade, Romero Rodrigues, que este ano entregou a organização e realização d’O Maior São João do Mundo a uma empresa de Pernambuco.

A empresa foi vencedora de uma licitação aberta pela Prefeitura de Campina para estabelecer uma parceria público-privada que livrasse o município de obrigações e custos que somavam até R$ 8 milhões. Com a mudança, a PMCG estima que economizará pelo menos R$ 5 milhões com os festejos juninos. A ‘sobra’ será investida na construção de um hospital infantil.

Mas não se limitam ao intérprete cearense os protestos contra a contratação de astros da música sertaneja, do chamado forró de plástico e de bandas que exploram o ‘brega’. Músicos como Fabiano Guimarães e o Poeta Francinaldo, de Campina Grande, também gravaram sua revolta em vídeo porque não foram contratados para tocar no Maior São João do Mundo.

Clique aqui para acessar o vídeo de Alcymar Monteiro e aqui para o vídeo dos artistas campinenses.

14 Comente Excluído do São João de Campina, Alcymar Monteiro chama evento de ‘festival de horrores’

  1. Newton Mota Disse:

    Concordo plenamente com o Alcymar Monteiro, principalmente quando ele manifesta-se contundentemente: “O São João está virando uma festa estereotipada, de pessoas que nada têm a ver com a nossa cultura (…) Campina Grande eu posso dizer que o maior festival de breganejo do mundo e você, que está promovendo isso, devolva o nosso São João”.
    Havia muito tempo e a cada ano assistimos a desfiguração dessa que é a maior festa nordestina. Começamos pelas chamadas “quadrilhas estilizadas” uma verdadeira aberração cultural. Veio o forró de plástico, um tiro de morte na nossa cultura. Deixar de prestigiar os nossos valores, justamente aqueles que construiram a duras penas a nossa festa maior, é no mínimo absurdo, estúpido, uma covardia. Agora, cadê aqueles defensores dos interesses culturais maiores da nossa cidade !? Antes o formato antigo saturou, e agora veio esse formato direcionado meramente para o “ganhar dinheiro” – elitizado e voltado para agredir e a ferir de morte a nossa cultura. É triste !

  2. Décio Neves Disse:

    O artista Alcymar Monteiro é natural da cidade de Aurora,
    e no estado do Ceará. httpsww.google.com.br/search?q=alcymar+monteiro&oq=al&aqs=chrome.0.69i59j35i39j69i57j69i60j0j69i60.1621j0j4&client=ms-android-lenovo&sourceid=chrome-mobile&ie=UTF-8

  3. Décio Neves Disse:

    O artista Alcymar Monteiro é natural da cidade de Aurora,
    no estado do Ceará. httpsww.google.com.br/search?q=alcymar+monteiro&oq=al&aqs=chrome.0.69i59j35i39j69i57j69i60j0j69i60.1621j0j4&client=ms-android-lenovo&sourceid=chrome-mobile&ie=UTF-8

  4. ze pereira Disse:

    Alcymar está certíssimo. Estão colocando o São João de Campina no mesmo caminho trilhado pela Micarande. O que não tem qualidade não dura muito. O que atrai gente de fora é a possibilidade de ver a cultura local genuína. Quem quer ver sertanejo vai para São Paulo, Goiânia, etc. Por que viria para Campina? Acorda, Romero!

  5. A vida não feita somente de festa!
    Choro de escanteado, é normal! Isso passa! Mas a construção de um Hospital Infantil, para a cidade, é louvável, pertinente, deixa um legado de cuidado com as crianças Campinenses, e é sem sombra de dúvida, muito mais importante!
    Excelente alternativa, para gerir recurso e administrar a coisa pública!
    Temos de parar de olhar o próprio umbigo e dar valor a atitudes voltadas para a sociedade em um todo!

    • Marisa Fernandes Disse:

      Isso, se o dinheiro for realmente usado pra construção do hospital, não é? E não sumir… desaparecer… como é de costume!! Tudo se promete, e na hora do vamos ver… Cadê?

    • Newton Mota Disse:

      Carlos, vc está mais perdido que pitomba em boca de banguelo. Não se está discutindo saúde pública e muito menos construção de hospital, o que é um dever do gestor público. Não é favor !
      Note, festa junina é festa e celebração das tradições nordestinas. Infeliz é o povo que não sabe preservar a sua cultura, legado dos seus ancestrais, da sua descendência. Vai no Rio Grande do Sul e tenta, tenta tocar um forró. Lá não entra ! Porque lá se preservam as tradições gaúchas.
      Então amigo, ou preservamos as nossas tradições, as nossas raízes culturais, ou estaremos fadados a desaparecer do mapa.

  6. Deise Santos Disse:

    Assino embaixo dw tudo que Alcimar disse. Ele sim é um representante legítimo da música nordestina

  7. germano barros Disse:

    Ele tem razão

  8. José Roberto Disse:

    Certíssimo!
    Vamos preservar e valorizar a cultura nordestina, o forró. O rei do baião, Luiz Gonzaga, batalhou tanto para que o Brasil conhecesse o forró, agora estão querendo ofuscar a música nordestina com a breganeja, no maior São João do mundo, se Luiz Gonzaga estivesse vivo estaria indignado, com essa falta de respeito. Vamos fazer um protesto para que no dia do show sertanejo, ninguém vá, e nesse dia procurar onde tem a nossa cultura, fazer show paralelo. Vocês tem certeza que esse prefeito nasceu em Campina Grande? Enquanto o povo não souber votar vai continuar sofrendo.

    • Newton Mota Disse:

      José Roberto, estarei sim a protestar. Quero o meu São João tradicional de volta. Que nos devolvam nossas tradições, tradições que estão sendo roubadas do povo. Haveremos de resgatar a tradição das quadrilhas genuinamente nordestinas, nos bairros de Campina. Que esses politiqueiros e aproveitadores, nos deixem em Paz juntamente com a nossa cultura, nossa identidade maior. Então, no dia do absurdo, vamos curtir shows paralelos e as quadrilhas de bairro. E nas eleições, haveremos de saber votar !

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *